Dezembro quente e com pouca chuva leva metade do país a situação de seca fraca

Temperaturas máximas foram as terceiras mais altas dos últimos 87 anos. Precipitação ficou-se pelos 37% dos valores normais.

Foto
Rui Gaudencio

O mês de Dezembro foi quente e com pouca chuva, com a temperatura máxima a alcançar o terceiro valor mais alto em 87 anos. Mais de metade do território do país entrou numa situação de seca fraca, indicou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

A média da temperatura máxima foi de 15,21 graus, superior ao normal em 1,33 graus – e o terceiro valor mais alto desde 1931. Só se registaram números superiores em 2015 e 2016.

Já a temperatura média foi de 10,58 graus, significando que foi superior ao normal em 0,61 graus e o terceiro valor mais alto desde 2000.

A temperatura mínima, com uma média de 5,96 graus, foi próxima do valor normal.

Além de Dezembro ter sido classificado como quente, foi também um mês “muito seco em relação à precipitação”, uma vez que chuva correspondeu a cerca de 37% do valor normal, refere o IPMA. A situação levou a que, no final do mês, se verificasse "o surgimento da classe de seca meteorológica fraca", sobretudo a sul do Tejo.

Mais de metade do território do país – 53,3% – está numa situação de seca fraca, 13,7% na classe de seca normal e 33% na classe de chuva fraca.

O IPMA indica ainda que nos últimos oito anos o valor de precipitação mensal em Dezembro foi sempre inferior ao normal.