Huawei
Foto
Huawei

Huawei lança aplicação que traduz emoções faciais para cegos

Disponível para o Huawei Mate 20 Pro, a aplicação consegue ler a linguagem corporal do interlocutor e, através de sons, transmiti-la ao utilizador.

Ouvir emoções quando os olhos não permitem — é o que a nova aplicação da Huawei quer. A empresa chinesa criou uma aplicação que traduz expressões faciais em sons, para que pessoas cegas consigam “ver” as emoções daqueles com quem conversam. Desenvolvida em parceria com a Associação Polaca de Cegos, a aplicação Facing Emotions usa a câmara traseira do telemóvel Huawei Mate 20 Pro para “ler” e, com recurso a inteligência artificial, interpretar e reproduzir — através de som — a linguagem corporal do interlocutor. Tudo em tempo real e em modo offline

É um algoritmo de machine-learning (um tipo de inteligência artificial que permite que as aplicações sejam precisas na previsão de resultados) integrado no telemóvel que torna tudo possível: são identificadas as principais características da cara do interlocutor — como sobrancelhas, olhos, nariz e boca — e, depois, através da posição de umas em relação às outras, é determinada uma particular emoção. Raiva, medo, repugnância, felicidade, tristeza, surpresa e desprezo são as expressões universais que a app consegue traduzir.

A cada um dos sentimentos está associado um som, que é enviado através do microfone do telemóvel ou de auriculares, assim que é detectada alguma das expressões reconhecidas pelo algoritmo. Pensados por Tomasz Bilecki, compositor cego, os sons são curtos, simples e não-intrusivos. “Os sons que queria criar tinham de ser específicos para cada emoção e não distrair os utilizadores das suas conversações”, disse o compositor à plataforma Dezeen. Depois de testados por uma equipa de cegos, as sonoridades foram classificadas como “fáceis de lembrar e compreender”, referiu a Huawei, citada no mesmo texto.

Para facilitar a utilização, foi também desenvolvido um suporte para o telemóvel: uma pequena bolsa deve ser utilizada ao pescoço para segurar o telemóvel junto ao peito, fazendo com que este esteja apontado para o interlocutor sem que seja necessário utilizar as mãos. Para já, a Facing Emotions está disponível para smartphones com sistema operativo Android e o download é gratuito.

PÚBLICO -
Foto

Esta não é a primeira app que pretende ultrapassar as barreiras com que as pessoas cegas se deparam: em 2016, foi criada a Blind Tool, uma app que também utiliza a câmara fotográfica do telemóvel para descrever objectos a pessoas cegas. Em 2018, investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e do Inesc Tec criaram uma bengala electrónica que, através da interacção com uma aplicação, obtém a localização do utilizador, armazena informação geográfica, calcula rotas e comunica pontos de interesse.

Também a Google anunciou, para breve, o lançamento de uma nova aplicação pensada para pessoas cegas ou com deficiência visual: a Lookout. A app oferece informação relevante para a actividade que o utilizador está a desempenhar, através de avisos orais, que pretendem alertar para a existência de pessoas, textos ou pessoas no ambiente circundante.