Arquitecto libanês Hashim Sarkis vai ser o curador da Bienal de Veneza 2020

Fundador do estúdio com o seu nome entre Boston e Beirute e professor no MIT integrou já o júri da bienal italiana em 2016.

Foto
Hashim Sarkis Bryce Vickmark

A Bienal de Arquitectura de Veneza de 2020 já tem curador. Trata-se do arquitecto libanês Hashim Sarkis (n. Beirute, 1964), um frequentador já habitual da bienal italiana: integrou o júri da edição de 2016 e o seu atelier – o Hashim Sarkis Studios (HSS), fundado em 1998 entre a capital libanesa e a cidade norte-americana de Boston – projectou os pavilhões nacionais dos Estados Unidos e da Albânia, respectivamente em 2014 e 2010.

“Escolhemos o curador da próxima bienal dentro do prazo necessário para organizar a exposição e respeitando as normas habituais”, diz o presidente de La Biennale, Paolo Baratta, no comunicado divulgado esta quarta-feira em que a instituição veneziana anuncia o novo comissário. “Com Hashim Sarkis, a bienal fica dotada com um curador que está particularmente atento aos vários temas que os contrastes da sociedade actual colocam ao nosso espaço vital”, acrescenta Baratta.

O comunicado da bienal destaca, no currículo de Sarkis, a carreira profissional tanto de arquitecto como historiador, crítico e professor de Arquitectura – é, desde 2015, reitor na Escola de Arquitectura e Urbanismo do Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Boston.

Formado em Arquitectura na Universidade Americana de Beirute e no Programa Metropolis de Barcelona, Hashim Sarkis radicou-se depois nos Estados Unidos, onde foi professor na Universidade de Harvard.

Entre as inúmeras edições e publicações em nome próprio, contam-se livros como Le Corbusier's Venice Hospital (2001), Circa 1958, Lebanon in the Projects and Plans of Constantinos Doxiadis (2003) e Josep Lluis Sert, The Architect of Urban Design (2008).

Com o seu estúdio, Sarkis tem desenvolvido projectos de casas e habitação social, parques e instituições públicas, entre o Líbano e a China, os Estados Unidos e o Canadá. O HSS mostrou também já os seus trabalhos em exposições em Beirute, no MoMA de Nova Iorque e nas bienais de Arquitectura de Roterdão (Holanda), Valparaíso (Chile) e Shenzhen/Hong Kong (China).

Reagindo à sua nomeação para curador da Bienal de Veneza de 2020, Sarkis mostrou-se simultaneamente “honrado e humilde”. “O mundo de hoje confronta-nos com novos desafios no domínio da arquitectura. Estou ansioso por, com a participação de arquitectos de todo o mundo, imaginarmos em conjunto como poderemos estar à altura desses desafios”, acrescentou.

A 17.ª edição da Bienal de Arquitectura de Veneza vai decorrer entre 23 de Maio (com uma pré-inauguração para os profissionais nos dias 21 e 22) e 29 de Novembro de 2020.

A edição do ano que agora termina teve como curadores as arquitectas irlandesas Yvonne Farrell e Shelley McNamara (Grafton Architects) e atribuiu um Leão de Ouro a Eduardo Souto de Moura.