Governo e Federação negoceiam data da final da Taça de Portugal

Encontro no Jamor coincide com a realização das eleições europeias. “Foi uma simples coincidência”, reconhece Comissão Nacional de Eleições.

Aves conquistou o troféu frente ao Sporting na última edição da competição
Foto
Aves conquistou o troféu frente ao Sporting na última edição da competição LUSA/MIGUEL A. LOPES

Pela quarta vez consecutiva, há um jogo de futebol marcado na mesma data em que se realizam eleições. Desta vez é a final da Taça de Portugal, agendada para o dia 26 de Maio de 2019, a coincidir com as eleições europeias. A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) já se mostrou disponível para resolver a situação, estando, actualmente em negociações com o Governo, conforme garantiu ao Expresso o secretário de Estado do Desporto e da Juventude, João Paulo Rebelo.

Ao contrário das declarações que tinha proferido ao Expresso —  onde criticou a “falta de sensibilidade para abordar o problema” —, João Tiago Machado, porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), admitiu ao PÚBLICO que a sobreposição não passará, afinal, de uma coincidência: “Conforme a FPF já pôde esclarecer, o calendário competitivo foi estabelecido no dia 4 de Maio, muito antes do dia 7 de Dezembro, quando foram marcadas das eleições”.

O porta-voz da CNE felicitou a entidade desportiva por, em primeiro lugar, mostrar abertura para, se necessário, alterar a data do encontro que terá lugar no Jamor: “Só temos que ficar contentes, ainda mais com os motivos que a FPF invocou: o respeito pelas eleições. Ao fim deste tempo todo, parecer haver o bom senso a que temos vindo a apelar”.

Sporting – FC Porto em dia de autárquicas

Em 2017, foram as eleições autárquicas a coincidir com quatro jogos do campeonato nacional, um dos quais o clássico entre os “leões” e os “dragões” em Alvalade, numa altura em que ambas as equipas lutavam pela liderança classificativa. Com início às 19h15, a partida não teve influência directa nos valores da abstenção, que até foi menor do que os registados em 2013 (caiu de 47,4% para 45,03%).

Para o porta-voz da CNE, o horário e localização da final da Taça de Portugal poderia causar maior dificuldade à votação dos adeptos de futebol que tivessem de fazer a viagem até Lisboa: “Olhando para a última final, as pessoas de Vila das Aves não conseguiriam ir votar, por exemplo. As horas a que tiveram de sair e o horário de chegada não lhes permitiria exercerem o voto. Por outro lado, o facto de o jogo ser em Lisboa, não causaria grande perturbação das assembleias de voto nas outras zonas do país”.