DR
Foto
DR

Em vez de pegar o touro pelos cornos, “pegar nas flores pelos espinhos”: PETA quer eliminar “linguagem antianimal”

A organização não-governamental para a defesa dos animais publicou um tweet a pedir a substituição de expressões e ditados populares por outros mais pet-friendly. E dá alternativas.

“Pegar o touro pelos cornos” ou “matar dois coelhos de uma cajadada”. Existem na língua portuguesa diversas expressões pouco simpáticas para os animais e que toda a gente usa, sem sequer se dar conta.

É com este tipo de expressões e ditados que a PETA pretende acabar. A organização dedicada aos direitos dos animais demonstrou a intenção através de uma publicação no Twitter, que entretanto já se tornou viral. Além de salientar que “as palavras importam” e que, tal como a "compreensão de justiça social evoluiu", a "linguagem também deve evoluir", a associação apresentou alternativas a expressões comuns em inglês para evitar usar "linguagem antianimal".

Entre os ditados que têm correspondência para português, a PETA sugere que em vez de se “pegar o touro pelos cornos”, antes se “pegue nas flores pelos espinhos”; e que em vez de se “matar dois pássaros [o equivalente aos coelhos em português] de uma cajadada só”, se diga “alimentar dois pássaros com um scone”.

Aproveitando a boleia e adaptando frases comuns na oralidade portuguesa, podia-se substituir o “gato escaldado” por um gato "resfriado" que de água fria tem medo. Ou dizer que "mais vale um pássaro a voar do que dois na mão”. Puxando pela criatividade, não faltam opções. 

A alteração de expressões enraizadas nas línguas não é recente — e Portugal não é excepção. Pelo mesmo motivo, já foram criadas alternativas a algumas músicas infantis. O caso mais flagrante é o da popular canção Atirei um pau ao gato, em que em vez de um pau se atira um peixe que o felino não come.