Erik Witsoe/Unsplash
Foto
Erik Witsoe/Unsplash

Caminha quer regime especial de esterilização de animais de companhia

Programa, a ser votado em reunião camarária, vai iniciar-se com 15 mil euros para a esterilização de animais domésticos de famílias carenciadas do concelho.

A maioria socialista na câmara de Caminha vai propor, esta quarta-feira, 7 de Novembro, em reunião ordinária do executivo municipal, a implementação de um regime especial de esterilização de animais de companhia, de famílias carenciadas, dotado de 15 mil euros.

"O programa inicia-se com uma verba de 15 mil euros, atribuída pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária. Com este valor e através deste regulamento, pretendemos esterilizar os animais domésticos de famílias carenciadas que não o possam fazer pelos seus meios", afirmou à Lusa o presidente da Câmara de Caminha.

O socialista Miguel Alves adiantou que, no próximo ano, avançará um programa mais direccionado para os animais errantes que são recolhidos num abrigo local.

"Já dispomos de uma verba de 30 mil euros que irá ser gerida com a Associação Selva dos Animais Domésticos. Esta iniciativa visa dar continuidade ao trabalho desenvolvido no concelho entre a autarquia e a associação, que tem feito do nosso território um caso de sucesso no controlo de colónias de animais errantes e na recolha de animais abandonados. Em Caminha, há muitos anos que não abatemos animais. É difícil, mas graças ao empenho de voluntários e ao trabalho dos funcionários da câmara, temos conseguido resultados que nos orgulham", sustentou Miguel Alves.

O regulamento do regime especial de esterilização de animais de companhia vai ser analisado na reunião camarária que terá início pelas 15h, no Salão Nobre do edifício dos Paços do Concelho.

Aquele regulamento visa garantir, de forma gratuita, a esterilização de animais. De acordo com o documento, o regime á aplicável aos animais de companhia, cães e gatos, pertença de agregados familiares com carências económicas, devidamente comprovadas pelos serviços de Acção Social do município, ou que sejam resgatados das ruas pela população ou por associações zoófilas legalmente constituídas.

O documento define ainda o procedimento que os candidatos devem tomar para poderem beneficiar deste regime.