Reese, Aniston, Sheldon ou Daryl: os actores mais bem pagos e os salários actuais da TV americana

Variety mostra novos dados sobre os salários dos actores desta temporada, dias depois de a Forbes ter revelado os mais bem pagos da indústria. A Teoria do Big Bang e The Walking Dead misturam-se com as novas séries de Reese Witherspoon ou Javier Bardem.

Foto
Reese Witherspoon, Norman Reedus e Millie Bobby Brown DR

A revista Variety publicou esta terça-feira os salários de alguns dos mais importantes actores a trabalhar em televisão esta temporada — e os actores “de cinema” como Reese Witherspoon ou Javier Bardem estão entre os mais bem pagos, com apenas algumas intromissões de nomes de The Walking Dead ou A Teoria do Big Bang. Esses são, aliás, entre os mais bem pagos da TV na outra lista que a Forbes revelou na semana passada.

Os dados revelados pela Variety surgem numa altura em que uma alteração legislativa fez com que os empregadores deixassem de poder questionar os funcionários sobre o seu salário anterior, o que tem um impacto directo no negócio da televisão — que está mais caro, mais produtivo e mais apelativo e que funcionava por um sistema “de quotas” em que os actores eram pagos conforme o seu valor prévio, numa escala que produzia muitas críticas e desigualdades de género ou raciais endémicas. A nova temporada de 2018/2019 está já a funcionar sob essas regras californianas, moldada também pelos orçamentos chorudos dos serviços de streaming e pelo número intenso de novos títulos nesta nova era dourada da TV.

Da lista sobressaem imediatamente os nomes de Reese Witherspoon e Jennifer Aniston, que na verdade não são estranhas à televisão desde Friends, e cujo regresso para uma série de comédia da Apple lhes renderá 1,1 milhões de dólares (967 mil euros) a cada uma por episódio. O espanhol Javier Bardem terá 1,2 milhões de dólares (1 milhão de euros) por cada episódio da sua nova série da Amazon e só o nome de Norman Reedus, o Daryl de The Walking Dead, e Elisabeth Moss com o seu protagonismo em Handmaid’s Tale se intrometem entre as estrelas de cinema neste top de nomes televisivos. Ambos recebem um milhão por episódio das suas séries.

Cruzando os dados da Variety com os da Forbes, que na semana passada apresentou a sua lista dos mais bem pagos da TV americana, o actual protagonista de The Walking Dead, Andrew Lincoln, recebeu 9,6 milhões de euros em 2018 pela sua participação na série e outros ganhos. É a primeira vez que o britânico figura nessa lista, encimada pelos homens de A Teoria do Big Bang: Jim Parsons (23 milhões de euros), Johnny Galecki (21,9 milhões de euros), Simon Helberg e Kunal Nayyar (ambos com 20,6 milhões de euros). A outra protagonista original da comédia da CBS, a actriz Kaley Cuoco, figura no segundo lugar do top 10 das actrizes mais bem pagas, liderada por Sofia Vergara de Uma Família Muito Moderna (37,4 milhões de euros, dos quais uma boa parte são outras receitas, da publicidade aos negócios próprios).

Voltando aos números da Variety, Julia Roberts só tem par em Steve Carell para os 600 mil dólares por episódio (527 mil euros) nas suas séries: Roberts pela nova Homecoming, para a Amazon, e Carell para a mesma comédia da Apple com Aniston e Witherspoon. Mas a actriz de Pretty Woman tem outra coisa em comum com Aniston, Witherspoon e Bardem, pois todos são produtores executivos das suas séries, o que lhes dá um pagamento adicional além do salário enquanto actores.

Abaixo dessa fasquia estão Sean Penn (The First para o serviço de streaming Hulu), Benicio del Toro (Escape at Dannemora, para o canal Showtime) e o super-homem Henry Cavill (The Witcher, para o Netflix) com pagamentos por episódio de 500 mil dólares (439 mil euros) para Penn e 351 mil euros para os dois últimos. Anthony Mackie recebeu 417 mil euros por capítulo de Altered Carbon, do Netflix. E ainda no drama e no serviço de streaming mais popular, o elenco de Stranger Things recebe em vários escalões: Winona Ryder, David Harbor e Millie Bobby Brown são pagos a 350 mil dólares por episódio (307 mil euros) e Finn Wolfhard, Gaten Materazzo, Caleb McLaughlin, Natalia Dyer, Charlie Heaton e Noah Schnapp recebem 220 mil euros, por exemplo. Por uma das séries mais faladas de 2018, Sandra Oh recebeu 100 mil dólares (88 mil euros) por episódio de Killing Eve (ainda sem estreia em Portugal); Genius: Picasso, da National Geographic, deu a Antonio Banderas uma nomeação para os Emmys e 176 mil euros por capítulo.

Na comédia, Candice Bergen regressou com Murphy Brown e para um ordenado de 220 mil euros por episódio, com a comédia a ser encimada por pagamentos como os de John Goodman ou Laurie Metcalf por The Conners, uma continuação de Roseanne (ambas da ABC e sem estreia prevista em Portugal).

A comédia domina a lista da Forbes, com A Teoria do Big Bang (AXN White), mas também com Uma Família Muito Moderna (que em Portugal passa na Fox Comedy), cujos actores masculinos ocupam os 6.º, 7.º, 8.º e 9.º lugares — Ed O'Neill, Eric Stonestreet, Jesse Tyler Ferguson e Ty Burrell, respectivamente, com rendimentos do ano entre os 12,3 e os 9,6 milhões de euros. Na quinta posição intromete-se o veterano Mark Harmon, cabecilha do original do franchise NCIS, com 16,7 milhões de euros de rendimentos anuais, segundo a Forbes.

Na mesma lista para actrizes, a revista situa na terceira posição Ellen Pompeo, de Anatomia de Grey (FoxLife) com rendimentos gerais de 20,7 milhões de euros. Julie Bowen, de Uma Família Muito Moderna, obteve 11 milhões de euros e as outras duas actrizes de A Teoria do Big Bang, Melissa Rauch e Mayim Bialik, receberam 10,6 milhões de euros no ano contabilizado pela Forbes e que inclui outras fontes de receita.