Documentários do PÚBLICO sobre racismo na corrida ao prémio Gabriel Garcia Marquez

Joana Gorjão Henriques, Frederico Batista e Sibila Lind são nomeados na categoria Imagem.

Foto
Ilustração de Miguel Feraso Cabral

Os documentários feitos para a série Racismo à Portuguesa publicados pelo PÚBLICO são candidatos ao Prémio de Jornalismo Gabriel García Márquez, na categoria Imagem. O júri avaliou trabalhos de 24 países ibero-americanos e nomeou, entre outros trabalhos, os documentários da jornalista Joana Gorjão Henriques e do jornalistas multimédia, Frederico Batista, nos quais colaborou também a jornalista multimédia Sibila Lind.

Os nomeados portugueses têm como concorrentes trabalhos de jornalistas espanhóis, brasileiros e colombianos, publicados em órgãos de comunicação tão diversos como New York Times, Globo News, AFP, 5W, Revista Anfibia, O Globo, Pacifista e Agência Pública. 

O trabalho Racismo à Portuguesa é a segunda parte da série Racismo em Português. Neste segundo trabalho, os jornalistas olharam para as desigualdades ao nível da habitação, do emprego ou da educação. 

Entre os nomeados está também o trabalho do jornalista português Ricardo J. Rodrigues, com um trabalho publicado na Notícias Magazine. Está nomeado na categoria Texto.

Nesta sexta edição do Prémio de Jornalismo Gabriel García Márquez (ou Prémio Gabo, nome pelo qual o jornalista e escritor colombiano era conhecido entre amigos) estiveram a concurso 1714 trabalhos, de entre os quais foram nomeados 40 trabalhos – dez para cada uma das quatro categorias: Imagem, Texto, Cobertura e Inovação. Os vencedores serão anunciados a 4 de Outubro, durante o Festival Gabo, numa cerimónia em Medellín, Colômbia. 

De entre os dez nomeados em cada categoria serão escolhidos três finalistas. Cada um destes recebe cerca de 1700 euros como prémio (seis milhões de pesos colombianos). Os vencedores recebem cerca de 9300 euros (aproximadamente 33 milhões de pesos colombianos).

A lista completa de nomeados está disponível na página do concurso.

Quatro trabalhos nomeados para prémios da UNESCO

A série Racismo à Portuguesa está também nomeada para o Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração, cujos finalistas foram igualmente conhecidos nesta quinta-feira. Para além dela, constam mais três trabalhos do PÚBLICO: Crianças sem documentos e com “a vida em suspenso” de Joana Gorjão-Henriques, A vida normal dos Cottim, uma família com a voz nas mãos da jornalista Mariana Correia Pinto e do fotojornalista Manuel Roberto, todos na categoria Imprensa Escrita e O Mundo de Jó, por Sibila Lind, na categoria Multimédia.

O Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração é atribuído em conjunto pela UNESCO e pela Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros. O melhor trabalho recebe um prémio no valor de 10 mil euros.