Foto

Uma app gratuita onde os médicos veterinários respondem a (quase) tudo

Dois médicos veterinários portugueses estavam fartos do "Doutor Google". Criaram a Petappoint, uma aplicação móvel — gratuita — que permite aos tutores de animais de companhia tirarem dúvidas com profissionais. O chat em tempo real quer deixar as "informações pouco credíveis" enterradas nas redes sociais.

Instalar a Petappoint é quase como andar sempre com um médico veterinário. No bolso. Quase, porque estes profissionais não vão poder realizar consultas através da aplicação móvel gratuita. Tal como não poderão prescrever tratamentos, procedimentos clínico cirúrgicos ou fazer diagnósticos durante as conversas, por escrito, com os utilizadores no chat.

Não é uma startup de “telemedicina”, até porque qualquer uma das acções descritas anteriormente “contraria o Código Deontológico” da profissão e a própria lei, frisa João Bordelo, um dos criadores da nova app portuguesa, lado a lado com Catarina Coelho. O que os profissionais vão fazer — já a partir de 3 de Setembro, para utilizadores com dispositivos móveis com sistema iOS — é “esclarecer dúvidas” e “fornecer orientações aos tutores de animais de companhia”. Ao mesmo tempo, sempre que considerem necessário, podem encaminhá-los para centros médico-veterinários parceiros onde os utilizadores poderão marcar uma consulta presencial, “evitando que o estado de saúde do animal se agrave”.

PÚBLICO -
Foto
Exemplo de uma conversa na Petappoint

O objectivo é despistar alarmismos e prevenir “análises ou interpretações incorrectas de sintomas”. “Asseguramos que a nossa informação é credível e personalizada”, explica Bordelo. Ao contrário da “maior parte do que se encontra nas redes sociais e através de motores de busca”. “Preferimos profissionais especializados a outro ‘doutor’ que gostamos de chamar Doutor Google”, brinca.

 

João Bordelo e Catarina Coelho, 28 e 27 anos, ele de Vila Nova de Gaia, ela de Bragança, ambos médicos veterinários de formação, querem preencher, com a Petappoint, a lacuna de um “canal de comunicação” que ligue, de forma rápida e segura, pessoas responsáveis por animais a profissionais médico-veterinários, em Portugal.

“Percebemos que a maioria dos tutores só recorrem a ajuda profissional muito tarde”, diz João Bordelo. O médico veterinário já trabalhou em Portugal e no estrangeiro e acredita que mesmo “os tutores mais exigentes”, que chegam a levar o animal de companhia a um profissional quatro vezes por ano (“quatro vezes mais do que a média”), usam a Internet para tirar dúvidas.

“Isto porque 15 minutos — o tempo médio de uma consulta — não é o suficiente para responder a todas as dúvidas”, assegura, acrescentando que, cada vez mais, os tutores têm “mais preocupações” com os animais. “Afinal, são os novos membros do agregado familiar.”

Nas conversas através do chat em tempo real da Petappoint, os utilizadores vão poder enviar vídeos ou imagens que melhor ilustrem o que os preocupa. De acordo com os testes realizados antes do lançamento, com utilizadores reais, o tempo de espera “não deverá ultrapassar os cinco minutos”. Em 20 minutos, o tutor “saberá o que fazer”. O tempo de resposta é minimizado através de um sistema híbrido que utiliza um bot (um software que automatiza procedimentos) e especialistas na área dos animais de companhia e dos animais exóticos, que vão trabalhar a tempo inteiro. Bordelo ainda não quer adiantar quantos profissionais vão contratar, alegando que ainda estão “em fase de recrutamento”.

PÚBLICO -
Foto
É possível enviar vídeos e imagens através do chat da Petappoint

A app foi desenvolvida pela equipa tecnológica da BloomIdea, uma empresa de Braga que fornece apoio tecnológico a startups. A Petappoint está incubada no UPTEC — Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e integrada em dois programas de aceleração: o Vodafone Power Lab e o LinkUp da Everis Group.

Tanto João Bordelo como Catarina Coelho tinham experiência em empreendedorismo, antes de decidirem começar a investir na Petappoint, em Novembro de 2017. Dentro de três meses, se a aplicação for bem recebida, passará a estar também disponível para dispositivos móveis com sistema Android. E fora de Portugal, aonde os dois empreendedores querem chegar “num futuro muito próximo”.

Em Junho último, a Linha de Saúde Animal 24 foi desactivada. A primeira linha telefónica nacional de assistência veterinária, lançada em Dezembro de 2016, foi "suspensa por tempo indefinido" por “não ser sustentável nem viável do ponto de vista económico” manter o serviço disponível. O projecto funcionava ininterruptamente através do número 760 450 911 e permitia aos tutores esclarecer dúvidas sobre os animais de companhia, em casos de emergência. O site, no entanto, ainda está disponível — e é um bom exemplo de sítios onde se pode encontrar informação fidedigna online.