Perguntas e Respostas

Qual é o plano de Maduro para travar a hiperinflação?

Principais medidas do pacote do Governo chavista que entra esta segunda-feira em vigor incluem a criação de uma nova moeda, directamente dependente do petro.

Fotogaleria
Foram criadas oito notas e duas moedas para o "bolívar soberano" EPA/Miguel Gutiérrez
Fotogaleria
Maduro garante que esta é a solução para travar a "guerra económica" com as "forças imperialistas" EPA/Miguel Gutiérrez

Quais as principais medidas do programa?

Entre as novidades do pacote económico para travar a hiperinflação no país destacam-se quatro: a criação de uma nova moeda, o “bolívar soberano”; a ligação da nova moeda ao petro – a criptomoeda que assenta nas reservas de petróleo da Venezuela; o aumento do salário mínimo para 180 milhões de “bolívares soberanos” – 34 vezes superior à anterior remuneração – a partir de 1 de Setembro; a subida do IVA DE 12% para 16%; e a proibição de acesso aos preços regulados da gasolina sem a apresentação do “cartão da Pátria”.

Quais as características da nova moeda?

A nova moeda é, na realidade, uma desvalorização brutal da moeda existente – daqui para a frente referida como “bolívar forte” –, calculada num corte de cinco zeros ou numa depreciação em 96%. O “bolívar soberano” será representado por oito notas (de 2, 5, 10, 20, 50, 100, 200 e 500) e duas moedas (de 1 e 50 centavos), e estará indexado ao petro.

O que é o petro?

É uma moeda virtual criada pelo regime em Fevereiro deste ano para ultrapassar as sanções económicas impostas pelos EUA e União Europeia. Fixado pelo Governo em cerca de 52 euros, o petro tem como base o preço médio do barril de petróleo venezuelano nos mercados internacionais. Será a divisa orientadora dos preços dos bens e salários na Venezuela, pesa a falta de credibilidade no exterior.

As notas e moedas antigas vão perder a validade?

Durante os primeiros tempos as duas moedas circularão em paralelo. A única excepção é a nota de 1000 “bolívares fortes”, que deverá ser trocada pelo equivalente em “bolívares soberanos”, durante os próximos sete dias.

As medidas já estão em vigor?

Anunciadas na sexta-feira, as medidas entraram em vigor nesta segunda-feira. Ainda assim, uma vez que Maduro decretou para esse dia feriado nacional, ordenou o encerramento dos bancos e instituições financeiras e suspendeu todas as transacções electrónicas até às 18h locais, só na terça-feira são esperadas mudanças concretas na rotina dos venezuelanos.