Então e as séries da RTP2?

O segundo canal da televisão pública é o ponto de encontro das séries europeias e esta semana há mais duas. A concorrência, porém, está à espreita.

Fotogaleria
Toby Jones em O Agente Secreto
Fotogaleria
Unidade 42
Fotogaleria
Toby Jones em O Agente Secreto
Fotogaleria
Vicky McClure em O Agente Secreto
Fotogaleria
O Agente Secreto

Nas noites de segunda a sexta, com a mesma regularidade com que a SIC e a TVI programam as sempiternas novelas, a RTP2 providencia séries de referência com denominação de origem controlada como Borgen e continua a distribuí-las (e por vezes a repeti-las) ao longo do ano. O segundo canal da televisão pública é há anos o ponto de encontro das séries de produção e co-produção europeia nos canais portugueses. 

Fá-lo também com quase tanta regularidade quanto os canais temáticos ou novas plataformas como o Netflix lançam novos títulos, por exemplo, cheios de nomes americanos ou britânicos sonantes ou feitos para os consumos virais – só que se dilui no mercado por muitas vezes só trazer estas séries europeias uns anos depois da sua estreia e por ser um incumbente, mas sem os milhões dos novos operadores. Um número a ter em mente: o Netflix gastará entre 6 e 11 mil milhões de euros a fazer filmes e séries só em 2018. E tem entrado neste jogo das séries europeias como distribuidor ou produtor com sucessos como A Casa de Papel ou Dark, e com flops como Marseille.

Ao mesmo tempo que tem a americana Girls a pontuar uns fins da noite, esta semana a RTP2 tem duas estreias para apresentar. Dia 20 é a minissérie da BBC O Agente Secreto, (mais) uma adaptação de um romance de Joseph Conrad sobre terrorismo e aproveitamento político em Londres – só que no final do século XIX. Dia 24 chega, às 22h15, o policial Unidade 42, fruto das novas safras belgas que nas últimas temporadas se garante produzirem do melhor que a ficção europeia põe na televisão.

O Agente Secreto é a quarta incursão da BBC na obra em causa e divide-se em quatro episódios realizados por Charles McDougall (Sexo e a Cidade, Os Tudors, Queer as Folk) e protagonizados por Toby Jones e Vicky McClure. Já Unidade 42 (2017) vai estar desde sexta-feira com os seus dez episódios a explorar o já algo expectável binómio “polícia veterano analógico e jovem ex-hacker” a lidar com crimes sortidos. É criada e escrita por três mulheres, Julie Bertrand, Annie Carels e Charlotte Joulia, e protagonizada por Patrick Ridremont e Constance Gay.