José Maria Ferreira/Arquivo
Foto
José Maria Ferreira/Arquivo

Sacos de plástico que se desfazem em água? Já esteve mais longe de ser verdade

Os tradicionais sacos de plástico podem ter os dias contados. Uma dupla de investigadores chilenos criou um saco que se dissolve na água em apenas cinco minutos.

Com uma ligeira alteração na fórmula do plástico, dois investigadores chilenos acreditam ter encontrado uma solução para reverter o consumo mundial de cinco mil milhões de sacos de plástico por ano. Não estranhes, por isso, se um dia destes vires um saco desfazer-se na água.

Na tentativa de criar um detergente biodegradável, Roberto Astete e Cristian Olivares descobriram uma fórmula química à base de PVA (álcool polivinílico) que substitui os derivados de petróleo, responsáveis pela alta durabilidade dos plásticos. O resultado? Um saco de plástico não poluente, que se dissolve na água em pouco mais de cinco minutos.

“A grande diferença entre o plástico tradicional e este é que o primeiro permanecerá no meio ambiente entre 150 e 500 anos e o nosso apenas cinco minutos. O utilizador decide quando o destrói”, afirmou Roberto Astete, de acordo com o The Santiago Times, em conferência de imprensa.

Durante a conferência, os investigadores da SoluBag garantiram que a fórmula pode ser aplicada a “qualquer material plástico”, permitindo a produção de embalagens, pratos ou mesmo talheres.

Em caso de chuva, os fabricantes conseguem programar a temperatura à qual o saco se dissolve em contacto com a água. Relativamente ao custo, os investigadores acreditam que a opção não será mais dispendiosa do que os sacos de plástico tradicionais, já que os primeiros podem ser produzidos nas mesmas empresas, alterando a fórmula.

O saco hidrossolúvel deverá ser comercializado a partir de Outubro, no Chile, um dos primeiros países da América Latina a proibir o uso de sacos de plástico em estabelecimentos comerciais. Quanto tempo demorará até o resto do mundo adoptar a ideia?