Elon Musk chama “pedófilo” a mergulhador da gruta

O mergulhador britânico tinha acusado o multimilionário sul-africano de um mero "golpe publicitário" quando este propôs utilizar um mini-submarino no resgate dos rapazes tailandeses.

Elon Musk, Tesla Motors
Foto
O empresário multimilionário Elon Musk Reuters/JOE SKIPPER

O empresário Elon Musk apelidou de "pedófilo" o mergulhador britânico Vernon Unsworth, que vive na Tailândia e participou nas operações de resgate do grupo de rapazes que esteve 18 dias preso numa gruta no norte do país. Musk não fundamentou a acusação, aludindo apenas ao facto de Unsworth viver na Tailândia, um país com um conhecido problema de prostituição infantil. A publicação no Twitter, que viria a ser apagada, foi feita no domingo.

Musk respondia daquela forma ao mergulhador, que tinha dito que o mini-submarino construído pela empresa SpaceX para ajudar no resgate da gruta não tinha passado de "golpe publicitário", “sem qualquer hipótese de funcionar”. Unsworth tinha ainda provocado Elon Musk, ao sugerir-lhe que enfiasse o submarino "onde dói". 

Mais tarde, após a acusação de Musk, o mergulhador de 63 anos revelou à televisão australiana Channel 7 News que está a ponderar processar judicialmente o empresário. “Isto ainda não acabou”, disse. “Não quero fazer mais comentários sobre ele, mas acho que toda a gente percebe o tipo de pessoa que ele é”, acrescentou.

Durante as operações de resgate, Musk tinha partilhado no Twitter uma série de vídeos que mostrava o projecto do minissubmarino, dizendo que este podia ser puxado por dois mergulhadores e era “suficientemente pequeno para passar pelos locais mais estreitos da gruta”, o que poderia auxiliar no resgate das crianças. Mas o salvamento dos 12 adolescentes que pertenciam a uma equipa de futebol local e do seu treinador de 25 anos acabou por ser feito pelas mãos de uma equipa internacional de mergulhadores.

PÚBLICO -
Foto
DR

Foram vários os especialistas a afirmar que o submarino não conseguiria passar nos pontos mais estreitos da gruta, opinião que foi depois defendida pelo mergulhador britânico. Nos tweets publicados no domingo, Musk voltou a defender que o mini-submarino era perfeitamente funcional.

A tentativa de participação de Musk nas operações de resgate aconteceu a pedido do governador da província tailandesa de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn. Este tinha revelado ao correspondente do jornal britânico The Guardian, Jacob Goldberg, que tinha um amigo na empresa de Musk. 

Unsworth, um mergulhador que conhecia bem aquelas grutas, referiu que Musk não tinha sido bem recebido no local, algo que o empresário sul-africano desmente: “Nunca vi este expatriado britânico que vive na Tailândia (suspeito) em nenhuma altura em que estávamos na gruta. As únicas pessoas à vista eram a Marinha e o Exército tailandeses, que foram fantásticos. A Marinha tailandesa acompanhou-nos – o oposto a querer que saíssemos de lá."

Conflitos à parte, o resgate foi concluído com sucesso, pese embora a morte de um mergulhador de elite da Marinha tailandesa.