União da Madeira recorre ao TAD sobre "caso Santa Clara"

Madeirenses alegam que clube açoriano utilizou jogadores sub-23 de forma irregular.

Filipe Silva, presidente da SAD do União da Madeira.
Foto
Filipe Silva, presidente da SAD do União da Madeira. gc Gregorio Cunha - colaborador

 O União da Madeira, que desceu ao Campeonato de Portugal de futebol, vai recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) da decisão do Conselho de Disciplina (CD) que viabilizou a subida do Santa Clara à I Liga. Fonte do emblema madeirense disse à Lusa que o clube vai interpor recurso no TAD, dentro do prazo estipulado de 10 dias, da decisão do órgão disciplinar federativo.

Na terça-feira, o pleno do Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) julgou improcedente o recurso do União da Madeira, despromovido ao Campeonato de Portugal, no qual pedia a "alteração da qualificação jurídica" da infracção cometida pelo Santa Clara, de utilização irregular de jogadores sub-23, que foi punida com uma multa de 6.210 euros.

O emblema madeirense participou do clube promovido desportivamente, alegando que o Santa Clara não inscreveu, pelo menos, dois sub-23 nos jogos com Gil Vicente, Varzim e União da Madeira. Além disso, contestou ainda a inscrição por parte dos açorianos de um jogador a mais na ficha técnica na visita à Madeira.

O Santa Clara assegurou a promoção à I Liga, com o segundo lugar no segundo escalão, com 66 pontos, mais dois do que o Académico de Viseu, terceiro classificado, enquanto o União da Madeira “caiu” para o Campeonato de Portugal ao terminar o campeonato no 17.º posto, com os mesmos 44 do Sporting de Braga B.