Director do PÚBLICO demite-se

Decisão de David Dinis surge na sequência do despedimento do seu director-adjunto pela administração. Restante direcção editorial também está demissionária.

,
Foto
Daniel Rocha

O director do PÚBLICO, David Dinis, demitiu-se esta segunda-feira, na sequência do despedimento, por parte da administração, do director-adjunto Diogo Queiroz de Andrade.

Num comunicado divulgado esta segunda-feira à tarde o conselho de administração do jornal diário, propriedade do grupo Sonae, explica que decidiu prescindir dos serviços de Diogo Queiroz de Andrade – que dirigia a área digital do PÚBLICO – “após um processo de reflexão ao longo das últimas semanas”.

“Na sequência da comunicação efectuada e anteriormente discutida o director, David Dinis, apresentou a sua demissão”, refere a mesma nota, na qual os administradores agradecem ao jornalista “toda a dedicação e profissionalismo com que abraçou o desafio de liderar um meio de referência na comunicação social nacional”, desejando-lhe os melhores sucessos pessoais e profissionais.

Com a demissão de David Dinis toda a restante direcção editorial do PÚBLICO – integrada também por Tiago Luz Pedro e Vítor Costa, além de Diogo Queiroz de Andrade – ficou igualmente demissionária. O comunicado da administração não adianta se já estão a ser feitos contactos para substituir os directores da publicação.

Esta segunda-feira de manhã a administração tinha pedido ao conselho de redacção do jornal para se pronunciar sobre a saída de Diogo Queirós de Andrade. O que acabou por ainda não acontecer: pouco depois David Dinis convocava um plenário de redacção para explicar as razões pelas quais deixava de ser director. Nesta reunião foram também dadas explicações para o sucedido por parte da administradora Cristina Soares. 

Entretanto, o conselho de redacção marcou novo plenário para a próxima quarta-feira, no qual deverá ser votada uma moção apresentada por dois jornalistas. 

David Dinis tornou-se o sétimo director da história deste jornal diário a 3 de Outubro de 2016, sucedendo à direcção encabeçada por Bárbara Reis, que dirigiu o PÚBLICO durante sete anos. Antes de entrar no diário David Dinis tinha dirigido a rádio TSF e o jornal online Observador

O diário foi fundado em 1989, tendo tido Vicente Jorge Silva como seu primeiro director. Dados mais recentes da Associação Portuguesa para o Controle de Tiragem dão conta de uma circulação paga da ordem dos 32.679 exemplares - bastante acima do Diário de Notícias, que passou a ser impresso apenas ao domingo, mas muito abaixo do Correio da Manhã (86.075 exemplares) ou do Jornal de Notícias (50.330 exemplares).