Sporting sagra-se tricampeão nacional no futsal

"Leões" bateram "águias" nas grandes penalidades (2-0) no Pavilhão João Rocha, na tarde deste sábado, depois de um empate após prolongamento (3-3).

Sporting sagrou-se tricampeão nacional, após vencer o Benfica nas grandes penalidades
Foto
Sporting sagrou-se tricampeão nacional, após vencer o Benfica nas grandes penalidades LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O Sporting sagrou-se, este sábado, tricampeão nacional de futsal, ao derrotar o Benfica no desempate por grandes penalidades (2-0), no quinto e último jogo da final do campeonato português. Após um jogo de emoções fortes, o empate (3-3) verificado no final do prolongamento espelhou o grande equilíbrio que se fez sentir entre ambas as formações. Com este título, “leões” somam o 15.º campeonato do seu palmarés.  

A primeira metade da partida espelhou a importância do derradeiro jogo da final: o desejo de não ficar em desvantagem sobrepôs-se à busca do golo inaugural. Nos primeiros 20 minutos, o Benfica foi a equipa que ficou mais perto de tomar a dianteira no marcador. Os “leões” sentiram sérias dificuldades na construção de jogo, devido à forte pressão defensiva e linhas subidas do adversário que sufocaram a transição "leonina". A primeira parte terminou sem golos (0-0), ficando as decisões reservadas para o segundo tempo.

O golo que mudou os destinos da partida surgiu ao segundo minuto da segunda parte (22’). Numa reposição de bola do lado direito, Robinho levantou a bola, Fernandinho amorteceu e, com um ligeiro toque, fez um passe para Raúl Campos que, na passada, rematou para o fundo das redes "leoninas" (0-1).

O golo do Benfica partiu completamente o jogo. O Sporting redobrou o esforço atacante e até teve algumas oportunidades, mas foi o Benfica a marcar novamente, aos 29’. O “balde de água fria” foi administrado por Fernandinho, assistido pelo japonês Rafael Henmi.

Os “leões” mantiveram a compostura e, dois minutos após o segundo golo dos “encarnados”, conseguiram reduzir a desvantagem, aos 31’. Após remate de Cardinal defendido por Diego Roncaglio, Pany Varela aproveitou para fazer o 1-2. O empate (2-2) chegou aos 37’, a castigar a quinta falta do Benfica. Fortino, a passe de Merlim, levou ao rubro o Pavilhão João Rocha.

Quase no fim da primeira parte do prolongamento (44’), Fernandinho marcou novamente e deu vantagem ao Benfica (2-3). A meio da segunda parte do tempo extra (47’), foi Fortino a restabelecer a igualdade no marcador (3-3), num momento em que os "leões" jogavam com guarda-redes avançado.

Na lotaria dos penáltis, o Sporting foi, novamente, mais eficaz que os "encarnados", marcando por duas vezes. O Benfica desperdiçou as duas grandes penalidades a que teve direito e permitiu ao Sporting festejar o 15.º campeonato no palmarés do clube. 

O treinador leonino, Nuno Dias, festejou a conquista nas bancadas do Pavilhão João Rocha. O técnico e Deo, jogador brasileiro do Sporting, foram alvos de um processo disciplinar do Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

"Também merecíamos ser campeões"

Depois da série — que foi um hino à modalidade —, Joel Rocha, técnico das águias felicitou os "leões", mas considerou a equipa da Luz igualmente merecedora de glória: “Felicitar o Sporting pelo tricampeonato, mas nós também merecíamos ser campeões por tudo o que fizemos e trabalhámos nesta final. Quero realçar o espectáculo que foram estes cinco jogos. Houve muitos golos, muitas reviravoltas e é espectacular para a nossa modalidade”.

Nuno Dias, técnico do Sporting, admitiu que foi difícil ver o jogo da bancada, mas preferiu realçar a boa época alcançada pelo emblema de Alvalade: " Muito difícil, mas confiante. Somos uma verdadeira equipa técnica. Quem nos conhece, sabe como trabalhamos. Não é por eu faltar. O Sporting, em 26 jornadas, fez 25 vitórias e um empate. Ganhou a Supertaça, Taça de Portugal, Taça de Honra de Lisboa, [é] vice-campeão europeu e campeão nacional. Não sei o que se pode pedir mais"