Mais de 160 mil jovens portugueses não estudam nem trabalham

Dos mais de 160 mil jovens portugueses que não estudam nem trabalham, 50,2% são do sexo feminino e 49,8% do género masculino.

Namoro abuso, Violência, Namoro
Foto
PAULO PIMENTA

Mais de 160 mil jovens portugueses não estudam nem trabalham, revelou esta terça-feira o Garantia Jovem, programa europeu coordenado em Portugal pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os dados foram apresentados no Instituto de Ciências Sociais, em Lisboa, durante um debate sobre o emprego jovem, numa iniciativa promovida pelo IEFP.

Segundo os números, dos mais de 160 mil jovens portugueses que não estudam nem trabalham, chamados NEET (sigla inglesa de Not in Education, Employment, or Training), 50,2% são do sexo feminino e 49,8% do género masculino.

No que diz respeito à idade destes jovens NEET, 45% tem entre os 20 e os 24 anos, 41% entre os 25 e 29 anos, e 14% estão distribuídos pelas restantes faixas etárias.

O programa Garantia Jovem indica também que a baixa qualificação aumenta em cerca de três vezes a probabilidade disto acontecer: 41% dos jovens têm o 9.º ano de escolaridade, 42% o ensino secundário e 17% correspondem às restantes habilitações académicas.

Os dados mostram ainda que 59% dos jovens portugueses são desempregados inscritos no serviço público de emprego, enquanto 41% não se encontram registados nos serviços de emprego, educação e formação.

A Garantia Jovem é um programa europeu de resposta à inactividade e ao desemprego jovem, que tem como principal objectivo proporcionar aos jovens entre os 15 e 29 anos que não se encontrem a estudar nem a trabalhar, uma oportunidade para apostar na sua qualificação e estar em contacto com o mercado de trabalho. Em Portugal, o programa é coordenado e implementado pelo IEFP.