<p>Manuel Roberto</p>
Foto

Manuel Roberto

A Barkyn vai mostrar à Google como se opera no mercado dos animais de companhia

Fundada em 2016, a startup foi seleccionada pela Google para integrar um programa de aceleração em Madrid. A Barkyn propõe-se resolver todas as necessidades de um cão com um pacote personalizado, entregue em casa

Todos os meses, a Barkyn vende mais de 20 toneladas de comida para cães através de um serviço de subscrição que "resolve a maior parte das necessidades com que os donos [destes animais] se deparam". É esta a premissa da startup, nascida no final de 2016, que leva à porta de casa serviços tão vários como desparasitantes, consultas de médicos veterinários e até mimos — além da ração, claro. Está em crescimento "todos os meses" desde que foi criada, o que não passou despercebido à Google. Há cerca de um mês, foi seleccionada para fazer parte de um programa de aceleração no Campus da Google, em Madrid.

O Campus Residency dá oportunidade a startups que já tenham o produto validado de ter um escritório no Campus da Google e, durante seis meses, acesso a uma rede mundial de especialistas, dados e conhecimento tecnológicos. André Jordão, fundador, conta que a candidatura foi sugerida pelo gestor da conta da Google. “Traçaram o nosso perfil enquanto fundadores, foi tudo bastante dissecado e acabamos por ser um dos oito seleccionados de entre 300 candidatos”, explica André, que acredita que as principais vantagens de integrar este programa se prendem com duas coisas: tecnologia e dados. Além da Barkyn, também a portuguesa Unono (uma agência de recrutamento para millennials) foi seleccionada para o mesmo programa.

“Acho que pode ajudar bastante na expansão porque a Google tem todos os dados do mundo e muita informação relativamente ao nosso mercado e isso pode orientar-nos nas decisões”, refere o empresário de 33 anos. Por outro lado, André acredita que a tecnologia da Google pode auxiliar a Barkyn a tornar o seu produto ainda mais personalizado e a melhorar forma como fazem e-commerce.

A "forma como [a empresa] está a escalar a personalização de um serviço especializado como não existe no mercado" foi, para André, aquilo que a Google achou mais especial. A Barkyn oferece vários níveis de subscrição, desde um plano standard que inclui comida, snacks, brinquedos e planos de cuidados, a “planos mais leves”, mas o cliente pode personalizar o plano à sua medida, definir as datas de entrega ou adquirir produtos avulso na loja. Os preços variam entre os 27 e os 45 euros e o cliente "tem apenas um ponto de contacto" para resolver todas as necessidades do animal — e, segundo o fundador da startup, “a um preço muito mais económico do que a compra separada em vários locais”.

Apesar de também vender ração de marcas conhecidas do público, desenvolveu uma marca própria na qual se foca cada vez mais. “[Isto] permite ao cliente oferecer sempre uma comida com cheiro diferente e uma experiência diferente ao cão sem que o animal se sature da comida”, compara André.

PÚBLICO -
Foto
Manuel Roberto

O mercado dos animais de companhia é um dos mercados em maior crescimento, em Portugal e no mundo: em 2016, a nível internacional, o comércio animal facturou mais de 90 mil milhões de euros. Foi precisamente nesse ano que André Jordão fundou a Barkyn, depois de em 2015 ter regressado da Alemanha, onde viu neste sector uma oportunidade para criar algo que não existia em Portugal e unir a experiência empresarial à paixão pelos cães.

Ainda com poucos meses de vida, o sucesso da marca criada por André Jordão e Ricardo Macedo (sócio e actual chefe de operações) já era motivo de conversa. Razão pela qual, em Março de 2017, o fundo de investidores portugueses Shilling Capital investiu 100 mil euros na empresa, o que possibilitou à Barkyn crescer para o país vizinho. Em Espanha, onde actua desde Setembro de de 2017, o ritmo de crescimento é ainda maior do que em Portugal.

No futuro, afirma André, o foco vai ser a marca própria de alimentação e o posicionamento enquanto "operador online relevante em Portugal e Espanha" — quem sabe expandir para outros animais, como gatos. “Temos um plano ambicioso de fazer muito melhor do que o status quo.