Holdimo apresenta acção para destituir Bruno de Carvalho

A empresa do angolano Álvaro Sobrinho, que detém cerca de 30% da sociedade anónima desportiva (SAD) do Sporting, deu entrada nos tribunais com uma acção para destituir a direcção de Bruno de Carvalho.

Álvaro Sobrinho
Foto
Álvaro Sobrinho Enric Vives-Rubio/Arquivo

A Holdimo, a empresa do angolano Álvaro Sobrinho que detém cerca de 30% da sociedade anónima desportiva (SAD) do Sporting, já deu entrada nos tribunais com uma acção especial para destituir Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro e Guilherme Pinheiro da administração da SAD do Sporting – ou seja, todos, excepto Nuno Correia da Silva, representante da empresa Holdimo, segundo maior accionista da SAD.

A revelação foi feita ao Jornal Económico, desta sexta-feira, pelo próprio Álvaro Sobrinho, que justificou a acção como uma tentativa de “travar a degradação do património e a situação insustentável de uma empresa que é cotada na bolsa.” A notícia agora avançada não constitui propriamente surpresa, tendo Álvaro Sobrinho anteriormente revelado preocupação pela situação que se vive no clube.  Agora reforça que irá fazer tudo ao seu alcance para destituir a direcção de Bruno de Carvalho. Segundo o empresário, a SAD tem de ter pessoas “profissionais” que “tragam valor acrescentado” e convictas de que a empresa “tem de ser rentável.”

A notícia surge na mesma altura em que se ficou a saber que o Conselho Directivo (CD) do Sporting, reunido na quinta-feira, revelou, em comunicado, que decidiu substituir a Mesa da Assembleia Geral (MAG) e respectivo presidente através da criação de uma comissão transitória da MAG, o que agrava o conflito entre órgãos socias do clube.