Jesus defende "o todo" e assume que fica até ao fim do contrato

Treinador do Sporting não conta com Mathieu e William Carvalho em Portimão, dupla que pretende gerir para o clássico.

Jorge Jesus quer o grupo blindado e focado no jogo de Portimão
Foto
Jorge Jesus quer o grupo blindado e focado no jogo de Portimão ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

O treinador do Sporting, Jorge Jesus, confirmou esta sexta-feira, em conferência de imprensa de lançamento do com o Portimonense, a baixa certa de Mathieu e a provável ausência de William Carvalho, jogadores relevantes quando está em causa mais uma final na discussão do campeonato. Jesus fez ainda questão de manter o grupo à margem de polémicas ou discussões acessórias, focando o plantel na deslocação a Portimão e insistindo que tem mais um ano de contrato e que pretende cumpri-lo.

“O importante é o todo, mais do que a soma das partes! E o todo é o Sporting”, insistiu quando confrontado com a recente reunião com a SAD leonina, cujas resoluções pretende manter na esfera técnica e administrativa. “O que se passou fica entre o treinador e a administração do clube. São assuntos que só dizem respeito ao Sporting”, notou, reforçando a ideia de que a relação com o presidente, Bruno Carvalho, continua igual.

“O Sporting precisa de paz e sossego. Todos são importantes para um final de época com muita tranquilidade. Já bastam os rivais”, desabafou, centrando-se na abordagem ao jogo com os algarvios, que antecede o clássico com o Benfica.

“É uma equipa difícil. Tivemos mais algum tempo para trabalhar melhor as nossas ideias e espero que possam ser apresentadas no jogo em Portimão” reagiu, pouco animado pelo facto de o Portimonense ser uma das equipas mais permeáveis da Liga.

“Temos de olhar para as duas partes. Também é o quinto melhor ataque. É uma equipa com futebol de qualidade técnica e táctica. O Vítor Oliveira fez um bom trabalho, subiu a equipa e vai deixá-la na I Liga. É um trabalho com muito mérito, fruto da ideia de jogo dele. Portanto, penso que não fugirá muito do que tem feito. O Sporting espera encontrar as mesmas dificuldades que os nossos rivais e estará preparado para elas”, concluiu, reforçando a ideia de que o ruído criado em torno do clube não conseguirá dividir o grupo, que pretende liderar na próxima época.

“Tenho mais um ano de contrato e vou cumpri-lo. Quando um treinador vai para um clube é o presidente que contrata. Quando há problemas, é o presidente que despede. Portanto, vou cumprir”.