Análise

Soares Dias a nível elevado

Foi um jogo sem grandes casos, o clássico da 30.ª jornada da Liga. Artur Soares Dias destacou-se essencialmente pela gestão emocional que fez de um jogo de tremenda importância para as contas do título.

34’
Alex Telles tentou interceptar com o peito um cruzamento de Pizzi para área do FC Porto. A bola parece ter sido desviada pelo seu ombro de forma legal. Também ficaram dúvidas quanto ao local em que esse desvio aconteceu, mas aparentemente terá sido ainda fora da grande área.

64’
Marega caiu na área do Benfica após carga ilegal de Rúben Dias nas suas costas. O contacto iniciou-se fora da área e, por isso, ficou por sancionar um pontapé livre directo no local do início da infracção. A ser falta, Rúben Dias deveria ter visto o cartão amarelo por impedir jogada perigosa.

90+2’
Zivkovic caiu em lance com Ricardo Pereira na área do FC Porto. Existe contacto entre os dois jogadores, mas a queda do benfiquista não parece ser provocada por qualquer contacto dos braços de ambos, mas sim pela sua desistência de lutar pela bola após perder a frente do lance. Situação que, mesmo nas imagens televisivas, é de difícil análise, pelo que a decisão tomada pelo árbitro merece o benefício da dúvida.

Avaliação global
Artur Soares Dias fez um excelente trabalho na gestão emocional dos jogadores, conseguindo ter sempre o jogo controlado. Os poucos erros cometidos não tiveram influência na partida. Foi sempre bem auxiliado pelos seus árbitros assistentes, conseguindo uma arbitragem de nível elevado.

Ex-árbitro e comentador de arbitragem