Cristas quer ser “a primeira escolha”, Moreira elogia "capacidade de inovação"

O 27.º congresso do CDS está a arrancar em Lamego.

Fotogaleria
Adriano Moreira foi homenageado
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
A reunião magna dos centristas não contempla interrupções
Fotogaleria
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
Adriano Miranda

A líder do CDS Assunção Cristas já chegou ao pavilhão multiusos de Lamego onde vai decorrer o 27.º congresso do partido este fim-de-semana. Cristas vai credenciar-se e falar com os militantes que estão a chegar e que estão na entrada no pavilhão.

Questionada pelos jornalistas sobre se este será um congresso sem história, a líder do CDS negou essa ideia, reafirmando que o partido quer ser “a primeira escolha” dos portugueses nas eleições.

É um congresso em contínuo, ou seja, que não fará interrupções para as refeições. Para evitar que a sala fique vazia, o presidente da mesa do congresso Luís Queiró enviou na sexta-feira uma mensagem a apelar a que os congressistas se mantenham no pavilhão, lembrando que dispõem de um bar nas instalações. A mensagem pedia também para os congressistas serem pontuais e para contribuírem com “um número de inscrições compatível com o tempo fixado para o debate das moções”. 

As moções de estratégia global começam a ser apresentadas à hora de almoço, altura em que está prevista a intervenção de Assunção Cristas. Ainda antes está prevista a homenagem ao dirigente histórico Adriano Moreira. 

Adriano Moreira, uma das figuras emblemáticas do CDS, do qual foi presidente, elogia Assunção Cristas e disse-lhe que ouviu e gostou da entrevista que a líder democrata-cristã concedeu esta semana à RTP.

“Tem uma capacidade de inovação extraordinária”, disse Adriano Moreira nos breves minutos que falou com a presidente, recusando-se a fazer prognóstico sobre o que vai acontecer em 2019, ano de eleições europeias e legislativas. Mas deixou uma vontade: “Gostava que a matriz do CDS voltasse a vigorar não apenas entre nós, mas na Europa, porque a deterioração dessa matriz, desde a fundação da União Europeia foi praticamente obra da democracia-cristão e deteriorou-se. É preciso recuperar!”

Momentos depois de se ter credenciado para o congresso, Assunção Cristas foi receber o histórico militante do partido à entrada do Pavilhão Multiusos de Lamego e agradeceu-lhe por ter vindo à reunião magna do CDS. “Olá, obrigado por ter vindo, muito obrigado!” disse, num tom meigo, a presidente do CDS, enquanto o abraçava.

Adriano Moreira chegou na companhia do antigo vice-presidente do CDS, Miguel Anacoreta Correia, que a direcção do partido pretende indicar durante os trabalhos do 27.º Congresso para presidente do Senado do partido.