George Corones regressou à piscina aos 80 anos. Aos 99, está a bater recordes

O australiano foi obrigado a abandonar a natação durante a Segunda Guerra Mundial. Esteve 60 anos sem nadar. Agora, apesar de dizer que não vai para novo, quer ficar na história dos atletas centenários. A primeira etapa — os 50 metros livres — está cumprida.

George Corones vai tentar bater o recorde dos 100 metros estilo livre na noite de sábado
Fotogaleria
George Corones vai tentar bater o recorde dos 100 metros estilo livre na noite de sábado DAVE HUNT/EPA
Fotogaleria
DARREN ENGLAND/EPA

A idade não é uma barreira intransponível. O australiano George Corones voltou a prová-lo: aos 99 anos bateu o recorde para a sua faixa etária (100-104 anos) nos 50 metros livres, que nadou em 56,12 segundos. Destronou o anterior tempo, registado em 2014, por 35 segundos.

O nadador encontra-se legalmente apto a bater este recorde, visto que vai fazer 100 anos em Abril deste ano. O recorde está, no entanto, pendente da análise e da validação da Federação Internacional de Natação (FINA). Oficialmente, a melhor marca neste escalão continua a pertencer ao britânico Jonh Harrison, que completou a prova em um minuto e 35 segundos.

“Foi uma prova exemplar para mim, consegui manter um ritmo muito consistente… No final ainda tinha forças para bater com força na parede da piscina”, disse à BBC, mostrando-se “bastante feliz” e “fora de si” pelo tempo alcançado. George Corones sublinhou ainda a importância do público caloroso, que considera ter sido um elemento essencial para concretizar este desafio.

PÚBLICO -
Foto
Darren England/EPA

Natural da cidade australiana de Brisbane, Corones fez saber que era um portentoso nadador quando era jovem, mas que a Segunda Guerra Mundial o obrigou a deixar a prática desportiva. Os 60 anos em que esteve afastado das piscinas foram longos, mas a paixão pela modalidade voltou quando fez 80 anos. Segundo o próprio, recomeçou a nadar exclusivamente para “manter a forma”, sem nunca imaginar este desfecho — que foi conseguido graças a uma mistura de trabalho técnico com doseamento de esforço deste atleta quase centenário.

O feito mereceu a atenção da equipa nacional de natação australiana, conhecida também com The Dolphins, que publicaram no Facebook uma mensagem sobre o feito de George Corones: “Acabámos de testemunhar um pedaço de história ao vivo”. A prova decorreu antes das provas de qualificação para os jogos da Commonwealth, que vão decorrer ali mesmo, na cidade australiana de Gold Coast.

George Corones quer bater outras marcas. O próximo desafio que se afigura são os 100 metros livres, nos quais o nadador australiano vai tentar bater o recorde actual, que pertence igualmente a Jonh Harrison. “Sei que já não vou para novo, mas estou confiante de que vou conseguir”, reitera o australiano com confiança. A prova vai decorrer na noite de sábado.