9,4 milhões de peregrinos visitaram Fátima no ano do centenário

Mais de 31 mil visitantes são provenientes do continente asiático. Em 2007, ano da inauguração da Basílica da Santíssima Trindade, os números ficaram próximos dos de 2017, com um número de visitantes calculado em nove milhões de pessoas.

Fotogaleria
"Obviamente a vinda do papa foi relevante e determinante", disse o reitor do santuário, Carlos Cabecinhas Paulo Pimenta
Fotogaleria
As celebrações do centenário tiveram 7,1 milhões de participantes. Os locais mais procurados foram o recinto de oração (2,8 milhões de pessoas), a Capelinha das Aparições (3,7 milhões) PAULO PIMENTA
Fotogaleria
A Casa dos Pastorinhos recebeu a visita de 1,2 milhões de visitantes, enquanto a Casa Museu de Aljustrel abriu as portas a 20.579 pessoas PAULO PIMENTA
Fotogaleria
PAULO PIMENTA
Fotogaleria
PAULO PIMENTA

No ano das celebrações do centenário de Fátima o santuário recebeu 9,4 milhões de peregrinos, dos quais 31.561 provenientes do continente asiático, anunciou nesta quinta-feira o santuário, durante o 40.º Encontro de Hoteleiros.

"Temos clara consciência que o ano de 2017 foi um ano absolutamente extraordinário e os números de visitantes e peregrinos neste ano foram únicos e possivelmente irrepetíveis. Aquilo que pretendemos e que está nas nossas expectativas é que Fátima continue a ser um polo de atracção quer para os peregrinos portugueses quer para os peregrinos de todas as partes do mundo", disse à Lusa o reitor do santuário, Carlos Cabecinhas.

Em 2007, ano da inauguração da Basílica da Santíssima Trindade, os números ficaram próximos dos de 2017, com um número de visitantes calculado em nove milhões de pessoas.

As celebrações do centenário tiveram 7,1 milhões de participantes. Os locais mais procurados foram o recinto de oração (2,8 milhões de pessoas), a Capelinha das Aparições (3,7 milhões), a Basílica da Santíssima Trindade (858 mil) e a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima (254 mil).

A Casa dos Pastorinhos recebeu a visita de 1,2 milhões de visitantes, enquanto a Casa Museu de Aljustrel abriu as portas a 20.579 pessoas.

Carlos Cabecinhas admite que os números das celebrações do centenário foram recordes, mas garante que não se devem apenas à vinda do papa Francisco a Fátima, nos dias 12 e 13 de Maio de 2017.

"Se fosse o papa a mobilizar toda esta gente para Fátima teríamos uma grande concentração de peregrinos em Maio e não foi isso que aconteceu. Obviamente a vinda do papa foi relevante e determinante. Nunca sublinharemos o suficiente o quanto a visita do papa Francisco a Fátima nesta ocasião foi significativa", referiu o reitor.

"A grande celebração do centenário foi um momento de atracção de peregrinos e muita gente veio a Fátima por esta ocasião porque queria fazê-lo, mas sem dúvida que o momento culminante foi a visita do papa", adiantou.

O reitor do santuário disse ainda que o centenário deixa uma "marca enorme na difusão da mensagem de Fátima".

Sugerir correcção