Director está para “muito em breve”

João Ribas, director adjunto do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, é um dos nomes de que se fala para substituir Suzanne Cotter.

Foto
João Ribas, o director-adjunto do museu, apresentou esta sexta-feira a sua programação para 2018, ao lado de Ana Pinho NELSON GARRIDO

Ainda não há fumo branco em relação ao nome da figura que vai suceder a Suzanne Cotter na direcção do Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Mas Ana Pinho, presidente do conselho de administração da fundação, disse esta sexta-feira aos jornalistas que o anúncio “está para muito em breve”, sem se alongar em mais explicações. A curadora australiana-britânica, que dirigiu o museu no Porto entre Janeiro de 2013 e o final do ano passado, encontra-se já no Luxemburgo, onde desde o início do corrente ano dirige o Musée d’Art Moderne Grand-Duc Jean (Mudam), mas a sua impressão digital está ainda, naturalmente, na programação de Serralves para 2018, onde inclusivamente comissaria a exposição de Anish Kapoor.

A fundação portuense lançou um concurso internacional no ano passado tendo em vista a escolha do novo director do museu, que, ao que o PÚBLICO apurou, foi bastante concorrido, e recebeu várias candidaturas internacionais. Mas um nome de que se fala é João Ribas (Braga, 1979), o actual director-adjunto, que esta sexta-feira esteve ao lado de Ana Pinho na apresentação da programação.

Ao PÚBLICO, a Fundação de Serralves recusou esta sexta-feira confirmar o nome de Ribas, reafirmando que a decisão será anunciada muito brevemente.