Australianos dizem "sim" ao casamento entre pessoas do mesmo sexo

Num referendo não vinculativo, 61,6% dos eleitores votaram a favor da legalização deste tipo de união.

LUSA/DAVID CROSLING
Foto
LUSA/DAVID CROSLING

Num referendo voluntário e não vinculativo, 61,6% dos australianos votaram a favor da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. O sufrágio teve uma participação de 79,5% dos eleitores (quase 13 milhões de pessoas).

As zonas urbanas votaram fortemente no “sim”, com as cidades de Melbourne e Sidney a alcançarem as maiores percentagens de votação a favor do casamento homossexual (83,7%).

Apesar de este referendo, que foi realizado por correspondência ao longo das últimas oito semanas, não ser vinculativo, é provável que agora, e com base nestes resultados, o Parlamento australiano se prepare para criar e aprovar a legislação para permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O primeiro-ministro Malcom Turnbull afirmou já que vai agora levar ao Parlamento a proposta para a alteração da legislação relativa à legalização do casamento homossexual e que o quer fazer até ao fim do ano, cita a Reuters. Durante a campanha, Turnbull já havia afirmado que o iria fazer caso o “sim” obtivesse a vitória. No entanto, o Governo australiano divide-se quanto ao conteúdo a incluir nesta legislação.

O primeiro-ministro, numa conferência de imprensa depois de conhecidos os resultados, destacou também a participação e a elevada votação no "sim": “Pedimos que os australianos dessem a sua opinião. Este foi um exercício sem precedentes na nossa democracia. Um referendo voluntário no qual participaram 80% e que 61,6% disse ‘sim’. Esta é uma taxa de participação impressionante e uma votação no ‘sim’ impressionante”

“Agora, por vossa causa, a vossa geração vai ser a última durante a qual as relações LGBT não são iguais sob a leia”, disse ainda. “Hoje, na Austrália, a justiça e a igualdade triunfaram, e nós podemos estar todos orgulhosos”, declarou ainda.