Roger Federer já está nas meias-finais

Jack Sock é o primeiro norte-americano a ganhar nas ATP Finals em 10 anos.

Roger Federer
Foto
Roger Federer Reuters/HANNAH MCKAY

Roger Federer e Alexander Zverev nasceram com uma diferença de 16 anos, mas no court é pouco o que os separa. A diferença continua a ser a qualidade, precisão e consistência ao longo de três sets do suíço de 36 anos que, ao somar a segunda vitória em Londres, garantiu já a presença nas meias-finais das ATP World Tour Finals pela 14.ª vez em 15 participações.

“Estou contente por poder jogar sem pressão o último encontro com Cilic”, admitiu Federer, após ganhar, por 7-6 (8/6), 5-7 e 6-1. O primeiro set parecia encaminhado para Zverev que, depois de salvar dois set-points, liderou o tie-break por 0/4, mas tudo mudou quando o suíço somou cinco pontos seguidos, para delírio do público presente na Arena O2 que, por muito que aplaudisse o alemão, não escondia a sua preferência. E a ovação foi maior quando o suíço fechou o set, ao fim de uma hora. Mas Federer perdeu a vantagem inicial no segundo set (2-0) e, a 5-6, não serviu tão bem e Zverev aproveitou.

Só que Federer confirmou por que só perdeu 2 dos 13 set decisivos este ano; uma série de 12 pontos ganhos em 14 disputados permitiu a Federer obter o break no terceiro jogo e destacar-se para 3-1. Zverev deu uma ajuda quando cometeu quatro erros depois de liderar por 40-0 e quando serviu a 1-5, entregando o encontro com a oitava dupla-falta

Antes, Jack Sock (9.º) manteve a esperança de chegar às meias-finais ao vencer Marin Cilic (5.º), por 5-7, 6-2 e 7-6 (7/4). O norte-americano de 25 anos entrou mal, talvez por ter sido obrigado a sair do hotel às quatro da manhã, devido a uma alarme de incêndio que disparou. Mas Sock acordou a tempo e equilibrou o encontro, decidido no tie-break. Cilic comandou por 4/2, mas tal como no primeiro dia em que cedeu quando serviu a 4-5 do terceiro set com Zverev, o croata perdeu intensidade e Sock tornou-se no primeiro norte-americano a ganhar um encontro nas ATP Finals desde Andy Roddick, há exactamente 10 anos.

Nesta quarta-feira, realiza-se a segunda jornada do Grupo Pete Sampras, já sem Rafael Nadal. O líder do ranking anunciou a sua desistência após perder o encontro da noite de segunda-feira, frente a David Goffin (8.º), por  7-6 (7/5), 6-7 (4/7) e 6-4. Nadal voltou a queixar-se de dores no joelho direito e cedeu o seu lugar ao compatriota Pablo Carreño Busta (10.º), que nesta quarta-feira se estreia diante de Dominic Thiem (4.º).