Creche onde morreu menina de quatro meses reabre na segunda-feira

O director da instituição adiantou que "os pais da criança estão a receber apoio psicológico prestado por profissionais do Instituto Nacional de Emergência Medica (INEM)".
Foto
O director da instituição adiantou que "os pais da criança estão a receber apoio psicológico prestado por profissionais do Instituto Nacional de Emergência Medica (INEM)". RUI GAUDêNCIO

O director do Centro Paroquial de Moncorvo, no distrito de Bragança, padre João de Barros, disse neste sáabdo à Lusa que a creche onde morreu uma menina de quatro meses vai reabrir "dentro da normalidade possível", na segunda-feira.

A morte da bebé foi aconteceu a meio da tarde de sexta-feira.

O director da instituição adiantou que "os pais da criança estão a receber apoio psicológico prestado por profissionais do Instituto Nacional de Emergência Medica (INEM)".

Segundo a mesma fonte, ainda não são conhecidas as causas do óbito, tendo o corpo seguido para o Gabinete de Medicina Legal.

Fonte dos bombeiros locais disse à Lusa que o alerta foi dado pelas 16h05, referindo-se que uma criança de quatro meses estaria em paragem cardio-respiratória, na creche do Centro Paroquial de Moncorvo.

"Confirmou-se que a menina estava em paragem cardio-respiratória e foram efectuadas de imediato as manobras de suporte de vida. Depois foi para o local um helicóptero do INEM, mas o óbito acabou por ser declarado no local pelo médico", disse.

Fonte da GNR explicou à Lusa que a pessoa encarregue pela criança na creche do Centro Paroquial de Moncorvo deitou a menina, mas que estranhou a demora desta em acordar.

Segundo a mesma fonte, a criança não tinha sinais de doença nem qualquer marca física no corpo.