V. Guimarães goleado pela Oliveirense

Vitorianos perdem em casa, por 1-4, e arriscam falhar final da Taça da Liga.

Hugo Delgado/Lusa
Foto
Hugo Delgado/Lusa

A Oliveirense goleou este sábado o Vitória de Guimarães, por 1-4, no Estádio D. Afonso Henriques, em jogo da segunda jornada da Taça da Liga, e subiu provisoriamente à liderança do grupo C.

A equipa da II Liga chegou ao intervalo a vencer por 1-3, com três assistências de João Mendes para os golos de Xandão (2’), Brayan Riascos (9’) e João Amorim (36’) - já depois de Rincón ter reduzido (12’) - e selou o resultado por Diogo Valente (79’).

Com este resultado, a Oliveirense quebrou uma série de cinco jogos sem vencer e é agora líder do Grupo C, com quatro pontos, ao passo que a turma do principal escalão, tem um ponto somado. 

O central Xandão inaugurou o marcador logo ao segundo minuto, num golpe de cabeça bem colocado, que entrou junto ao poste direito, na sequência de um livre da direita, e Brayan Riascos, aos nove, "encostou" para o 0-2, depois de Miguel Silva, ao sair da baliza, ter falhado a intercepção da bola de forma caricata.

Depois de 10 minutos em que praticamente não existiu em campo, a equipa vitoriana reagiu e chegou ao golo, num lance em que Rincón marcou na recarga a um remate de Junior Tallo e que o árbitro António Nobre validou, depois de o assistente Miguel Aguilar ter assinalado fora-de-jogo.

A equipa de Oliveira de Azeméis, porém, continuou a ser melhor e falhou, aos 16 minutos, um penálti, após falta de Moreno sobre Brayan Riascos, com Miguel Silva a adivinhar o lado do pontapé de João Amorim e a desviar a bola para canto.

A equipa de Pedro Miguel voltou a criar perigo num cruzamento de Diogo Valente, aos 22', e num livre de Sérgio Ribeiro, aos 32', antes de João Amorim fazer o terceiro (36'), num remate bem colocado à entrada da área, com espaço e tempo para tudo.

O quarto golo voltou a estar perto aos 43 minutos, quando Riascos se isolou e depois Alemão tentou um "chapéu", com Miguel Silva a defender ambas as tentativas. O Vitória ainda esteve perto de reduzir a diferença no segundo tempo, por Rafael Martins (63') e por Raphinha (78'), mas nunca colocou a defesa oliveirense em apuros permanentes, e até acabou por sofrer o quarto golo, num remate de Diogo Valente ao ângulo superior direito, à entrada da área (79').