Os parques europeus vão encontrar-se nas montanhas mágicas portuguesas

Pela primeira vez, a conferência Europarc realiza-se em Portugal. A partir de quarta-feira, o território abrangido pelas serras de Montemuro, Arada e Gralheira vai receber mais de três centenas de pessoas.

Os Passadiços do Paiva fazem parte do Geopark de Arouca, que integra o território das Montanhas Mágicas.
Foto
Os Passadiços do Paiva fazem parte do Geopark de Arouca, que integra o território das Montanhas Mágicas. ADRIANO MIRANDA

O território conhecido como Montanhas Mágicas, que se estende por Arouca, Castro Daire, Cinfães, Castelo de Paiva, S. Pedro do Sul, Sever de Vouga e Vale de Cambra, vai receber, entre esta quarta-feira e domingo, a conferência Europarc, que reúne as áreas protegidas europeias. Organizada pela Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Serras do Montemuro, Arada e Gralheira (Adrimag), a iniciativa tem uma novidade: os speakers corner, espaços abertos “a todos os que queiram discutir, debater e/ou apresentar ideias”. João Carlos Pinho, coordenador da associação, afirma que são espaços de discussão inovadores, sendo esta “a primeira vez que se realizam”.

Com 14 propostas inscritas, os speakers corner vêm colmatar uma lacuna nos temas tratados durante o evento, explica João Carlos Pinho. E exemplifica: “o papel do activismo popular na protecção da natureza”, “a perspectiva do futuro da natureza na Europa”, “a contribuição da pecuária do pântano para a biodiversidade e economia local sustentável”, “os desafios e oportunidades da introdução de grandes produtores numa área natural protegida”, “os benefícios de desportos ao ar livre para a sociedade”, “os detectores de morcegos” e “um diálogo aberto sobre os limites do desenvolvimento socioeconómico nas áreas protegidas”.

A realização da conferência enquadra-se nos objectivos de internacionalização da marca Montanhas Mágicas, afirma João Carlos Pinho. Com 324 participantes inscritos de 37 países, o coordenador garante que a hotelaria e a restauração do território abrangido pelas Montanhas Mágicas estão preparados para os quatro dias de conferências. “Este foi o ano em que a conferência teve mais inscrições”, revelou, explicando que não podiam aceitar muito mais do que três centenas de pessoas, caso contrário não iriam poder assegurar todas as comodidades aos participantes.

A edição deste ano tem como tema “Novas vozes, novas visões, novos valores para as pessoas e natureza na Europa”, e conta com a participação de especialistas em conservação da natureza e património cultural, como Humberto Rosa, director para o Capital Natural na Direcção-Geral do Ambiente da Comissão Europeia e antigo Secretário de Estado do Ambiente, Marina Silva, antiga ministra do Ambiente brasileira, Erika Stanciu, antiga ministra Romena do Ambiente e Francisco Froján Madero, membro da Secretaria de Estado do Vaticano.

Durante os quatro dias de conferência, os participantes vão poder participar em “palestras e conversas, complementadas com visitas de campo”, assim como nos speakers corner  e num marketplace. A conferência Europarc 2017 terá tem como pano de fundo o Ano Internacional do Turismo Sustentável, que se comemora este ano numa iniciativa das Nações Unidas. 

Montanhas Mágicas é uma marca, da Adrimag, certificada desde Novembro de 2013 como destino turístico sustentável, ao abrigo da Carta Europeia de Turismo Sustentável em áreas protegidas e classificadas. Este território engloba quatro Sítios de Importância Comunitária (SIC) no âmbito da Rede Natura 2000 e um Geoparque da UNESCO. A Adrimag é membro da Federação Europarc, entidade que promove a gestão de áreas protegidas na Europa através da cooperação internacional e à qual se vai juntar a Fedenatur - Associação Europeia de Parques Periurbanos.

Texto editado por Ana Fernandes