Nos tweets de Trump, os negros são acusados de racismo três vezes mais do que os brancos

O Presidente norte-americano utilizou a palavra "racismo" ou "racista" 56 vezes na rede social.

Reuters/JONATHAN ERNST
Foto
Reuters/JONATHAN ERNST

Donald Trump foi alvo de uma onda de críticas por uma primeira reacção morna aos tumultos que se registaram durante uma manifestação de extrema-direita em Charlottesville, estado norte-americano da Virgínia, e que terminou com a morte de uma contra-manifestante depois de ter sido intencionalmente atropelada por um extremista. Esta segunda-feira, o Presidente dos Estados Unidos veio corrigir o tiro e vincar a condenação do racismo, criticando pelo nome grupos como o KKK, os neonazis e os supremacistas brancos. E também hoje, Washington Post foi analisar o histórico da conta de Trump, o seu meio de comunicação preferido, concluindo que, quando o assunto é racismo, o milionário nova-iorquino tende a dirigir as suas acusações de racismo contra cidadãos negros três vezes mais frequentemente do que o faz contra brancos.

Utilizando o Trump Twitter Archive, um site que rastreia e arquiva todos os tweets de Trump, o jornal norte-americano diz que o agora Presidente utilizou pelo menos 56 vezes a palavra “racista” ou “racismo”. Dois terços destas publicações serviram para acusar um grupo ou um individuo de racismo. E é a partir daqui que se chega à conclusão que os negros são acusados de racismo três vezes mais frequentemente do que os brancos.

Diz o diário que houve dois alvos preferenciais do Presidente nos últimos anos. Um é o antigo apresentador do canal MSNBC, Touré Neblett (mais conhecido pelo primeiro nome), que foi acusado de ser racista em dez ocasiões entre Outubro de 2012 e Setembro de 2013.

O outro dos alvos frequentes é o apresentador de um programa desportivo da HBO, Bryant Gumbel, aparentemente por comentários que este fez sobre os campos de golfe detidos por Donald Trump. Só no mês de Agosto de 2013, o então empresário classificou Gumbel de racista, entre outras ofensas, seis vezes.

Nem o antigo Presidente dos EUA, Barack Obama, escapou às acusações do magnata. Em 2012, Trump questionava se Obama seria “totalmente racista”.

Nesta contabilidade existem 18 tweets onde Trump utiliza as expressões “racismo” ou “racista” sem acusar ninguém. Metade destes serviam para, explicitamente ou implicitamente, negar que ele próprio seja racista.