Sérgio Conceição: "A fasquia somos nós que a colocamos sempre alta"

Treinador do FC Porto não terá Soares disponível para o encontro com o Tondela, no domingo.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, garantiu neste sábado que a "fasquia está elevada" para encarar todos os jogos da I Liga, admitindo que a perspectiva de todo o grupo passa apenas por conseguir vitórias. Para o jogo com o Tondela, no domingo, o técnico não poderá contar com o avançado Soares.

"Vamos lá para ganhar o jogo. Sabemos o que é o Tondela, uma equipa disponível, agressiva. É uma equipa perigosa, que sabe aproveitar o espaço deixado pelo adversário", analisou Sérgio Conceição, em conferência de imprensa de antevisão à partida. "Temos que saber ter paciência e isso é também 'agredir' o adversário. Temos que estar sempre com os olhos na baliza, sempre na procura do golo. Para além disso, temos que nos manter atentos ao sector defensivo", explicou.

O facto de jogar fora de casa não é algo que preocupe Sérgio Conceição, que admitiu que isso "não traz qualquer pressão acrescida". "Jogar fora ou em casa é igual. A diferença é o número de adeptos nossos, apesar de serem muitos. A forma de jogar e de encarar o jogo, e a forma presente em campo, é exactamente igual. Não há diferença".

O treinador dos "dragões", que já sabe que não vai poder contar com Soares e Rafa no encontro com o Tondela, defendeu ainda que "o FC Porto tem a obrigação de lutar pelos três pontos e ganhá-los", e admitiu que é essa a exigência a que todos se propõem no balneário, ignorando, no entanto, "a pressão exterior".

"A fasquia somos nós que a colocamos sempre alta. Temos sempre a obrigação de lutar pelos três pontos e ganhá-los. Não é a pressão exterior que eleva a fasquia. Essa exigência está alta no balneário, somos um grupo ambicioso e que quer ganhar o campeonato. No FC Porto essa fasquia tem que estar sempre elevada", rematou.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações