Mais Louie? Só se for muito diferente

Louis C.K. e o patrão dizem que, se a série voltar, não será parecida com o que vimos nas cinco temporadas anteriores.

Louis C.K. no tempo em que ainda usava </i>t-shirts</i> pretas
Foto
Louis C.K. no tempo em que ainda usava t-shirts pretas Reuters/ANDREW BURTON

A quinta e mais recente temporada de Louie, a série do FX vencedora de três Emmy que é escrita, protagonizada e realizada pelo cómico Louis C.K., foi para o ar em 2015. Se houver uma outra, será daqui a algum tempo e não se parecerá, de todo, com o que veio antes. Quem o disse, segundo o site Deadline, foi o próprio, esta quarta-feira, na Summer Press Tour, o evento de Verão da Television Critics Association.

Não, não é por estar muito ocupado (que está), mas mais porque há já algum tempo que "não é aquele tipo com a t-shirt enegrecida manchada e as duas filhas", já que estas "agora são mais velhas". 

John Landgraf, presidente da FX, explicou, no mesmo evento, que o cómico se retirou da série após a última época para seguir adiante. Acrescentou que a fama e o sucesso de C.K. são agora muito maiores do que eram quando Louie se estreou em 2010. Na série, C.K., que faz dele próprio, é um cómico de meia-idade em Nova Iorque a educar as duas filhas e a gerir uma carreira cujo sucesso é inúmeras vezes mais parco do que aquele que o cómico tem na vida real.

E esse fosso entre a versão ficcional e a versão real do autor começava "a parecer um pouco artificial". Também falou de como C.K. tinha ficado "sem coisas para dizer" sobre a altura da sua vida retratada na série. Por isso, Landgraf disse que não tinha novidades sobre a sexta temporada, mas deixou em aberto que tanto pode nunca mais haver uma época da série como podem surgir mais "quatro ou cinco" ao longo "dos próximos 30 anos".

Entretanto, C.K. tem andado bastante ocupado, seja na televisão, nos palcos ou na Internet, como produtor executivo de séries como Baskets, que co-criou com Zach Galifianakis, Better Things, cuja autoria partilha com Pamela Adlon, actriz que é uma parte importante de Louie, One Mississippi, de Tig Notaro e Diablo Cody, ou a vindoura Cops, série animada a que dará voz em parelha com a lenda da comédia Albert Brooks. Já para não falar de Horace and Pete, a sitcom que C.K. vendeu no seu site no ano passado, ou especiais de stand-up como 2017, que saiu este ano no Netflix – e em que já não usava a tal t-shirt preta da série e dos outros especiais, mas sim um fato completo.