Ricardo Melo Gouveia termina em 55.º na Escócia

Espanhol Rafa Cabrera Bello vence Aberdeen Asset Management Scottish Open

Ricardo Melo Gouveia em actuação esta semana na Escócia © FOTOGRAFIA PUBLICADA PELO JOGADOR NO FACEBOOK
Foto
Ricardo Melo Gouveia em actuação esta semana na Escócia © FOTOGRAFIA PUBLICADA PELO JOGADOR NO FACEBOOK

Não foi o fim de semana que Ricardo Melo Gouveia desejava no Open da Escócia, dado que, com voltas de 78 e 71, em condições meteorológicas verdadeiramente difíceis, não conseguiu melhor do que terminar no grupo dos 55.º classificados. 

Se pensarmos que há um ano, quando se estreou na prova, tinha feito um top-30 com 5 pancadas abaixo do Par, é normal que ele próprio esperasse melhor do que o agregado de 291 pancadas, 3 acima do Par do Dundonald Links, empatado com o escocês Duncan Stewart e o francês Gary Stal. 

Os 20.194 euros que embolsou hoje (Domingo), convertidos em pontos, não lhe permitiram subir na Corrida para o Dubai. Aliás, desceu de 121.º para 123.º. 

No entanto, há aspetos positivos a retirar desta semana. As duas primeiras voltas de 70 e 72, bem como a de 71 de hoje (Domingo) dão a entender que está a reencontrar alguma consistência de resultados. 

Desde a última semana de junho, em torneios do European Tour, o profissional da Quinta do Lago fez 12 voltas: 5 de 72, 2 de 71, 2 de 70, 1 de 69, 1 de 73 e 1 de 78, mas esta última num dia de tempo inclemente. Não é suficiente, precisa de voltar com regularidade à casa das 60’s, mas nota-se evolução. 

Aliás, embora Ricardo Melo Gouveia não se tenha pronunciado nas redes sociais sobre a sua exibição destes dois últimos dias, estava claramente feliz. 

“Semana fantástica” escreveu no Twitter, referindo-se à organização do Aberdeen Asset Management Scottish Open, de 6,1 milhões de euros em prémios monetários. 

“Não há palavras para descrever quão bom é Roger Federer. Federer é igual a Deus”, acrescentou, visivelmente bem-disposto pelo resultado da final de Wimbledon, em ténis. 

A volta final do n.º 1 português na Escócia teve grandes momentos, como aqueles 6 birdies convertidos nos primeiros 10 buracos, depois de até ter começado com 1 bogey. Mas os últimos seis buracos foram uma provação, com 1 triplo bogey, 2 bogeys e apenas 1 birdie. De qualquer forma, sempre foi 1 pancada abaixo do Par, que o deixa motivado para o que vem de seguida. 

Ricardo Melo Gouveia não teve entrada no The Open Championship da próxima semana, o terceiro Major do ano, mas irá depois competir a 27 de julho, no Porsche European Open, na Alemanha, onde também estará Filipe Lima, que falhou o cut na sexta-feira com 154 (76+78), +10. 

Mas ao contrário de Filipe Lima que aproveitará essa brecha no calendário para vir ao Oporto Golf Club em Espinho e competir no Solverde Campeonato Nacional PGA, Ricardo Melo Gouveia optou por parar e treinar ates de atacar o resto da época no European Tour. 

O Aberdeen Asset Management Scottish Open só foi decidido num play-off, no qual o espanhol Rafa Cabrera Bello (70+72+69+64) bateu o inglês Callum Shinkwin (67+68+72+68), graças a 1 birdie no buraco 18, depois de terem empatado a 275 (-13). 

Foi o seu terceiro título no European Tour, o primeiro desde 2012 e elevou-o ao 4º lugar na Corrida para o Dubai.

 

Veja mais em www.golftattoo.com