Do Porto à estação do Tua, num comboio dos anos 40

Composições podem ser usadas por todos, mas foram pensadas para os turistas. As viagens serão diárias entre 30 de Junho e 30 de Setembro

Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda
Fotogaleria
O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 Adriano Miranda

Que eles têm mexido e muito com a economia nacional já não é novidade, e aí estão de novo como justificação para a entrada em funcionamento de um novo serviço da CP – Comboios de Portugal. Fala-se dos turistas e da sua apetência pela região do Douro, classificada como Património da Humanidade pela Unesco. É por causa deles, dos turistas, que um comboio com seis carruagens dos anos 40 e uma locomotiva dos anos 60 vai voltar a funcionar. O serviço começa na sexta-feira e fará a ligação diária entre as estações de S. Bento, no Porto, e do Tua.

Não é um comboio histórico, mas é um comboio com história. A distinção é fácil de explicar – as composições que agora vão voltar ao serviço, até 30 de Setembro, não conservam todas as características originais. “O comboio foi objecto de várias intervenções ao longo da sua história, o que levou a que mudasse algumas coisas no seu aspecto visual e no interior, por isso, em teoria, não é um comboio histórico, apesar de ser material circulante histórico”, diz fonte da CP. Uma das características que ele manteve, contudo, foi a ausência de ar condicionado, pelo que os eventuais passageiros ficam desde já avisados. “Mas as janelas abrem todas”, contrapõe a mesma fonte.

O comboio agora apelidado de MiraDouro é composto por seis carruagens produzidas nos anos 40 pela fabricante suíça Schindler e por uma locomotiva diesel dos anos 60. As composições circularam na rede ferroviária nacional entre 1949 e 1977 e, de novo, por um período breve, em 2004, já na linha do Douro. Agora, está de regresso, depois de ter sido recuperado e de ter passado alguns anos estacionado nas instalações da CP.

O MiraDouro vai circular diariamente, entre 30 de Junho e 30 de Setembro, com partida da estação de S. Bento em direcção ao Tua às 9h25. Pára na Régua e no Pinhão, antes de chegar ao destino final às 12h20. O regresso começa às 16h34 e a chegada ao Porto, de segunda a sexta-feira é às 20h55, antecipando-se para as 20h30 aos sábados, domingos e feriados. O preço é o mesmo de um comboio inter-regional (11,60 euros por trajecto).

Fonte da assessoria de imprensa da CP explica que a procura pelos comboios que se dirigem ao Douro é "exponencial nesta altura do ano, sobretudo por parte dos turistas” e que este novo-velho comboio tem duas vantagens. “Com a renovação deste material antigo conseguimos ir ao encontro dessa procura e oferecer aos turistas uma forma charmosa de fazer aquele percurso, em carruagens antigas, com janelas panorâmicas e salões bastante espaçosos”, diz.

Sugerir correcção