Isabel Pires e Ricardo Robles: a dupla do BE para Lisboa

Nome da deputada foi votado nesta sexta-feira à noite em plenário concelhio do partido que votou também os nomes de todos os cabeças de lista às juntas de freguesia da capital.

Fotogaleria
Isabel Pires é deputada do BE Rui Gaudêncio
Fotogaleria
Antes de ser deputada, trabalhou num call center MARA CARVALHO

A jovem deputada Isabel Pires é a candidata do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal de Lisboa (AML) e o seu nome foi aprovado, ontem à noite, em plenário concelhio do partido, que votou também os nomes de todos os cabeças de lista às juntas de freguesia da capital que se candidatam às eleições autárquicas de Outubro. O candidato à câmara é, como é sabido, Ricardo Robles.

Isabel Pires, que acabou de fazer 27 anos esta semana, vai, de novo, liderar a lista do Bloco à AML, um cargo que concilia com a sua actividade de deputada na Assembleia da República, onde é coordenadora do grupo parlamentar do BE na Comissão de Assuntos Europeus. Além desta comissão, a bloquista integra mais duas: Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas (como suplente) e Trabalho e Segurança Social.

O seu projecto político para a AML assenta em três pilares, como explicou ao PÚBLICO: habitação, precariedade na Câmara Municipal de Lisboa e transportes e mobilidade. Mas para lá destes três eixos, a candidata tem dado particular atenção à “pressão que o turismo está a ter na cidade”.

“A questão do turismo é, sem dúvida, uma das actividades económicas mais importantes actualmente para o nosso país e também para a cidade de Lisboa, mas é preciso saber encontrar os equilíbrios necessários para que os lisboetas e aqueles que cá estudam e vivem tenham as condições necessárias para poder usufruir em termos de lazer e culturalmente a cidade sem que exista uma tensão como a que actualmente se começa a perceber”, afirma Isabel Pires, revelando que as propostas que o Bloco apresenta “vão no sentido de haver um equilibro entre quem cá está e quem nos visita”.

“Independentemente do tema que nos leva a ir a determinado sítio, invariavelmente, a questão do turismo é sempre referida e nota-se que existe alguma apreensão sobre como é que será o futuro da própria cidade, do seu ordenamento, dos preços que se praticam. Temos ouvido muitas queixas e também propostas para resolução deste problema”, sublinha a candidata à assembleia municipal, realçando que a “pressão” se faz sentir “essencialmente em relação à habitação e aos transportes”.

“Lisboa cidade partilhada” é o lema da campanha do Bloco, cujo cabeça de lista à câmara é Ricardo Robles. A candidata quer passar a mensagem de que a cidade pode e deve ser construída numa perspectiva de partilha por todas e por todos, independentemente de onde vêm e quem são. É preciso encontrar respostas para que todos consigam partilhá-la, sendo trabalhador cá, sendo estudante, sendo morador, sendo turista, tem que haver esse equilíbrio”, defende Isabel Pires.

A três meses das eleições, a candidata aposta numa campanha de proximidade com os lisboetas e promete andar mais na rua no contacto com as pessoas.