PÚBLICO premiado por reportagem sobre acolhimento de refugiados

Catarina Fernandes Martins venceu Prémio de Jornalismo Fernando de Sousa, entregue nesta terça-feira, Dia da Europa, no NewsMuseum.

A reportagem está integrada num especial do PÚBLICO sobre o Dia do Refugiado
Foto
A reportagem está integrada num especial do PÚBLICO sobre o Dia do Refugiado Fernando Veludo/NFactos/ARQUIVO

A reportagem “Portugal estendeu os braços. E se isso não chega?”, da jornalista Catarina Fernandes Martins, venceu a primeira edição do Prémio de Jornalismo Fernando de Sousa, cuja cerimónia de entrega decorreu nesta terça-feira, Dia da Europa. A reportagem foi publicada em Junho de 2016 — na véspera do Dia do Refugiado — e retrata o acolhimento de refugiados em Portugal.

Num comunicado da Comissão Europeia, é explicado que este trabalho foi escolhido “por reportar um tema tão complexo, através de histórias reais, enquadrando, de forma equilibrada, os exemplos pessoais e o ângulo europeu”. O júri destaca ainda a versatilidade dos formatos usados: a criação de uma plataforma online que agrega alguns destes trabalhos e facilita a sua partilha e também a “inovação talentosa do recurso à fotografia e ilustração” — ao trabalho de Catarina Fernandes Martins juntam-se os de Vera Moutinho, Frederico Batista e Sibila Lind (vídeos), Ana Cristina Pereira (texto), Nuno Ferreira Santos, Fernando Veludo e Rui Farinha (fotografia), Cátia Mendonça e Célia Rodrigues (infografia) e Eduardo Salavisa (ilustração).

Na categoria Estudante, houve dois trabalhos premiados em ex aequo. A peça de Tomás Nogueira, “Chefe de Representação da Comissão Europeia em Portugal fala à RUC”, difundida na Rádio Universidade de Coimbra (RUC) a 15 de Setembro de 2016, e a reportagem “O ‘bicho papão’ não mora aqui”, publicada no jornal universitário ComUM, da autoria dos alunos Pedro Costa, Tiago Ramalho, Pedro Esteves e Paulo Costa.

O Prémio de Jornalismo Fernando de Sousa – atribuído em Sintra no contexto das celebrações do Dia da Europa – homenageia o jornalista que foi correspondente da SIC e Diário de Notícias em Bruxelas e que morreu em 2014. Durante a cerimónia, o jornalista foi também homenageado com a inauguração de um retrato seu na Galeria dos Imortais, que faz parte do NewsMuseum.

Segundo o regulamento, este prémio é atribuído a jornalistas e a estudantes do ensino superior de cursos de jornalismo que tenham contribuído “de forma notável para clarificar questões importantes a nível europeu ou que tenham promovido um melhor conhecimento das instituições ou políticas da União Europeia em Portugal”.

Para além da presidente do júri e chefe da representação da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Colares Alves, o júri era ainda composto por Daniel Rosário (porta-voz da Comissão Europeia), Francisco Belard (Clube de Jornalistas) e Goulart Machado (da Casa da Imprensa).

Segunda edição do concurso

Depois da entrega dos prémios foi lançada a segunda edição do Prémio de Jornalismo Fernando de Sousa, que passará agora a atribuir prémios em três categorias: jornalista em media nacional, jornalista em media regional e uma categoria para estudantes. Passa, assim, a haver uma distinção entre o jornalismo feito em órgãos de comunicação social nacionais e regionais.

Podem ser submetidos trabalhos desenvolvidos em imprensa, rádio, televisão e online. O regulamento para a segunda edição do concurso está disponível online e as candidaturas estarão abertas de 1 de Janeiro de 2018 a 28 de Fevereiro do mesmo ano.