Um festival para que ninguém se abstenha e toda a gente celebre a política

Os organizadores estão tão empenhados na causa que uma das iniciativas consiste precisamente em recolher, através do site www.festivalpolitica.pt, ideias para combater a abstenção.

O tema desta primeira edição é a abstenção
Foto
O tema desta primeira edição é a abstenção Daniel Rocha

Noutros países não é uma novidade, mas em Portugal é uma estreia. Depois de uma sessão de poesia política já ao final da tarde desta quinta-feira, o Festival Política vai continuar sexta e sábado, no Cinema São Jorge, em Lisboa. Inclui debates, encontros com deputados, actividades para crianças, cinema… Tudo por uma causa: combater a abstenção.

Bárbara Rosa, co-organizadora (jurista de direito público de profissão), está confiante na adesão, uma vez que, entre outras razões, se trata de uma iniciativa organizada pela sociedade civil e não por partidos. A programação foi pensada por Bárbara Rosa e por Rui Oliveira Marques, posta em prática pela promotora Produtores Associados e apoiada, entre outras entidades, pela EGEAC – Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

“Tudo é política, a política partidária é apenas um campo da política”, diz Bárbara Rosa ao PÚBLICO, insistindo que se pretende que “os cidadãos tenham outra atitude perante a coisa pública”. O tema desta primeira edição (os organizadores esperam que haja mais) é a abstenção, ou melhor, o combate à abstenção.

Bárbara Rosa alerta para o que considera serem os perigos da abstenção: representa o “divórcio dos cidadãos perante as instituições”, contribui para a “ineficácia das políticas públicas”, por não envolver as pessoas, e permite o surgimento dos populismos.

Os organizadores estão tão empenhados nesta causa que uma das iniciativas consiste precisamente em recolher, através do site www.festivalpolitica.pt, ideias para combater a abstenção. As propostas que chegarem, a par das principais conclusões dos debates, serão depois entregues aos grupos parlamentares e partidos portugueses. “A recepção dessas propostas não se vai esgotar no festival, vamos deixar que subsista além do dia 22”, diz Bárbara Rosa.

Que iniciativas fazem, então, parte do Festival Política? Na sexta-feira, haverá às 17h30 um debate – Como combater a abstenção ­– no qual participarão João Pina (fotógrafo), Marina Costa Lobo (investigadora do Instituto de Ciências Sociais), Hélio Morais (músico co-fundador dos Linda Martini e dos Paus) e Maria Flor Pedroso (editora de política da Antena 1).

Segue-se o encontro com deputados. Neste caso, exige-se inscrição prévia, porque o encontro está limitado a 12 pessoas por deputado. Durante cinco minutos, os participantes conversam com cada um dos sete deputados: Sérgio Azevedo (PSD), Rita Rato (PCP), Heloísa Apolónia (PEV), Mariana Mortágua (Bloco de Esquerda), André Silva (PAN), Isabel Moreira (PS) e Ana Rita Bessa (CDS-PP).

Ao final do dia, às 19h30, é altura para se discutir se o voto obrigatório é ou não uma solução. Sexta-feira tem ainda momentos dedicados à sétima arte, com a exibição do filme Ressurgentes, de Dácia Ibiapina, e com a estreia nacional Techo y Comida, de Juan Miguel de Castillo.

No sábado, a programação começa às 10h, com uma actividade para os mais pequenos: Como se faz uma bandeira? Trata-se de uma sessão dinamizada pelo Serviço Educativo do Museu da Presidência da República. Às 12h15, haverá um espectáculo de teatro, também para as crianças: Nha Casa, Nha Bairro (como se constrói o futuro), pelo Teatro Ibisco.

Entre as 15h e as 19h, Alberto Faria, André da Loba, Carolina Maria, ± Miguel Januário e Sara Maia irão conceber serigrafias, que serão impressas e vendidas no local, sobre o impacto da abstenção na vida política portuguesa. Ainda no sábado, será exibido o filme Aristides de Sousa Mendes – un hombre bueno, de Victor Lopes. Trata-se de uma estreia europeia e contará com a presença do realizador.

Um outro debate, sobre o papel do jornalismo independente na democracia, juntará Pedro Santos (É Apenas Fumaça), Carla Fernandes (Rádio AfroLis), Diogo Cardoso (Divergente) e Paulo Querido (Hoje). Mas há mais eventos, o programa completo está disponível em www.festivalpolitica.pt

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações