Corrida ao espaço custa mil milhões de dólares por ano ao fundador da Amazon

Jezz Bezos e Elon Musk têm aberto os cordões à bolsa para financiar tecnologia de exploração espacial.

Bezos no interior da cápsula da Blue Origin
Foto
Bezos no interior da cápsula da Blue Origin Reuters/Isaiah Downing

A exploração do espaço, outrora um exclusivo de agências governamentais, é agora também uma actividade para empresários com muito dinheiro para gastar. O fundador da Amazon, Jeff Bezos, afirmou que vende todos os anos mil milhões de dólares (cerca de 940 milhões de euros) de acções daquela multinacional, para financiar a Blue Origin, a sua empresa de turismo espacial.

O valor foi revelado à imprensa durante uma conferência anual nos EUA dedicada à exploração espacial, que decorre esta semana.

A corrida ao espaço está a aquecer entre dois multimilionários: Jeff Bezos e Elon Musk, que fez fortuna com o PayPal e é o fundador da Tesla e da Space X.

Recentemente, a Space X anunciou ter feito descolar um foguetão já antes utilizado. A Blue Origin já conseguiu reutilizar o seu foguetão várias vezes, mas este é menos poderoso e, ao contrário do foguetão da empresa de Musk, incapaz de entrar em órbita. Os dois magnatas têm descrito a reutilização dos foguetões como um passo importante para a expansão das viagens ao espaço, uma vez que permite reduzir drasticamente os custos das viagens.

“Se pudermos fazer com que o acesso ao espaço seja de custo reduzido, os empreendedores vão aparecer”, disse Bezos, citado pelo The New York Times. “Vamos ver a criatividade, vamos ver o dinamismo, vamos ver no espaço o mesmo a que assistimos na Internet nos últimos 20 anos.” Não é a primeira vez que o criador da Amazon faz uma comparação entre o potencial da exploração espacial e as últimas décadas da Internet, durante as quais, graças sobretudo à World Wide Web, surgiram uma multiplicidade de negócios – entre os quais o da Amazon.

Jeff Bezos é a segunda pessoa mais rica do mundo, atrás de Bill Gates, de acordo com a lista de multimilionários da agência Bloomberg. A fortuna do empresário está estimada em cerca de 78 mil milhões de dólares (a revista Forbes coloca-o em terceiro lugar, atrás ainda do investidor Warren Buffet). Na tabela da Bloomberg, Musk está em 88.º lugar, com perto de 13 mil milhões.

A Blue Origin (que foi criada por Bezos em 2000) mostrou na semana passada imagens do interior de uma cápsula dentro da qual pretende levar turistas espaciais a cerca de 100 quilómetros de altitude (por comparação, a Estação Espacial Internacional está a cerca de 400 quilómetros da Terra). Os planos passam por ter seis poltronas e outras tantas grandes janelas que permitam aos ocupantes apreciar a vista. Em Outubro, a empresa testou, num lançamento não tripulado, o sistema de emergência da cápsula, que foi capaz de separar-se do foguetão graças a um motor próprio e conseguiu aterrar com o auxílio de pára-quedas.

A visão dos dois milionários é ambiciosa, mas está ainda muito longe de se concretizar. Bezos pretende ter pessoas a viver e trabalhar no espaço. Por seu lado, Musk (cuja Space X foi fundada em 2002) diz que vai levar dois (também muito endinheirados) turistas espaciais até às imediações da Lua já no próximo ano e fala frequentemente na colonização de Marte.

Sugerir correcção