Cristiano Ronaldo vs. Alberto João Jardim

Deverá o aeroporto da Madeira passar a chamar-se Cristiano Ronaldo? O embaixador Francisco Seixas da Costa diz que não.

Foto
Cristiano Ronaldo e o nome do aeroporto da Madeira LUSA/TIAGO PETINGA

Para quem passou a vida a praticar diplomacia ao mais alto nível, Francisco Seixas da Costa, embaixador, conseguiu pôr a Madeira e o Continente em rebuliço por conta da já polémica alteração do nome do actual Aeroporto do Funchal

A sugestão de Seixas da Costa foi deixada ontem no seu blogue Duas ou Três Coisas: “Quero aqui dizer, com total frontalidade e sem ambiguidades, que me chocaria muito menos que o nome de Alberto João Jardim fosse dado ao aeroporto da Madeira, em lugar do de Cristiano Ronaldo, cujas qualidades atléticas ficariam, com certeza, muito mais adequadamente consagradas num estádio ou outra instalação desportiva”.

O embaixador escreveu esta frase depois de recordar que durante décadas se chocou com o modo como Alberto João Jardim exerceu a sua ação como presidente do Governo Regional da Madeira. “Não apreciei o seu frequente autoritarismo, o modo displicente e desrespeitador como sempre tratou a oposição, as instituições nacionais e a comunicação social”. Mas, reconhece para justificar a mudança do nome, Jardim também foi a cara “dessa imensa mudança positiva” que a Madeira viceu nas últimas décadas. 

A polémica em torno do “naming”, como lhe chama o governo regional, do Aeroporto da Madeira, instalou-se no início de Março, quando o PÚBLICO noticiou que Lisboa e Funchal não estavam de acordo em relação à mudança do nome, que ocorreria numa cerimónia marcada para dia 29. Na altura, Miguel Albuquerque considerou uma “falta de educação” e uma “deselegância” colocar em causa a competência da região para alterar o nome. “O aeroporto é propriedade da Região Autónoma da Madeira”, lembrou. E manteve a data da festa.