Easyjet desiste de voar para os Açores

Companhia aérea diz que não estão reunidas as condições para manter a operação.

Foto
Buno Lisita

A Easyjet vai deixar de ter uma rota entre Lisboa e Ponta Delgada, na ilha de S. Miguel, a partir do final de Outubro, segundo anunciou esta quinta-feira o director da empresa em Portugal, José Lopes. Durante um encontro com jornalistas, este responsável justificou a decisão com o facto de a companhia aérea não conseguir reunir as condições necessárias para ter a “oferta mínima de qualidade praticada pela empresa”. “Não conseguimos ter dois voos diários”, afirmou José Lopes, sendo este o objectivo ideal.

Neste momento, há apenas quatros voos por semana por falta de disponibilidade de aviões. O êxito dos Açores, sublinhou, foi maior do que o esperado, e, na altura em que as ligações foram liberalizadas, há quase dois anos, a concorrência mostrou ter “mais disponibilidade”. Além da Easyjet, as ligações entre Lisboa e com S. Miguel são asseguradas pela Ryanair, TAP e Sata.

A retirada dos Açores vai, no entanto, ajudar a companhia área a reforçar outras ligações. No chamado período de Inverno IATA 2017/2018 (ou seja, entre Outubro deste ano e Março do próximo) haverá mais frequências a partir dos aeroportos do Porto, Lisboa, Funchal e Faro. A cidade algarvia é, aliás, a única que terá duas novas rotas de Inverno (o que ajudará a combater o peso do Verão na região): Lille e Nice, além de mais frequências para Londres (aeroporto de Luton), Bristol, e Paris.

Já o Porto vai ter mais frequências para Genebra e Londres (Gatwick) e do Funchal haverá um reforço para Basileia. Quanto a Lisboa, a subida de frequências será entre a capital portuguesa e Londres (Luton), Bordéus, Lyon, e Zurique. “No Verão é fácil aumentar a capacidade, é no Inverno que se pode fazer a diferença”, afirmou José Lopes.