A avó de Letícia, Crescenciana Espírito Santo, nascida em Mondão, no distrito de Viseu
Foto
A avó de Letícia, Crescenciana Espírito Santo, nascida em Mondão, no distrito de Viseu

Luso-brasileira vence residência artística Fujifilm

Letícia Valverdes, luso-brasileira, é a vencedora da residência artística promovida pelo Fujifilm FIF Viseu

A fotógrafa brasileira luso-descendente Letícia Valverdes é a vencedora do concurso à residência artística "Inspiring Positive Change", promovida pelo Fujifilm Festival Internacional de Fotografia Viseu.

Durante o período de Abril e Maio do presente ano, Letícia irá executar na cidade de Viseu o projecto "Postcards for my Portuguese grandmother", que explora os conceitos da memória, da saudade, do passado e da cultura locais.

A avó de Letícia, Crescenciana Espírito Santo, nascida em Mondão, no distrito de Viseu, emigrou para o Brasil em 1920. "Apesar de nunca ter regressado, ela passou o resto da vida com vontade de ver Portugal novamente", explica na sinopse do projecto. A intenção de Letícia é regressar a Mondão e descobrir a vida que a avó poderia ter vivido caso nunca tivesse partido - as pessoas que poderia ter conhecido, os locais onde poderia ter passado o seu tempo - e criar os postais de lembrança que a avó nunca recebeu.

PÚBLICO -
Foto

Da estadia da fotógrafa em Viseu irão resultar, pelo menos, 48 imagens que serão expostas durante a edição do Festival Internacional, entre 5 de Maio e 4 de Junho. Letícia, contactada pelo P3, considera esta oportunidade "um privilégio".

A residência FIF oferece à fotógrafa uma câmara fotográfica Fujifilm X100F, a suprareferida exposição individual no Festival, a publicação da série fotográfica produzida em formato fotolivro com direito a lançamento na edição de 2018 do Festival; além disso, cobre a totalidade das despesas de deslocação, estadia e refeições do fotógrafo.