Sousa confirma boa forma em Auckland

Português vai defrontar o cipriota Marcos Baghdatis no acesso à final.

João Sousa está a começar o ano em grande forma
Foto
João Sousa está a começar o ano em grande forma Reuters/ALY SONG

Oito meses depois, João Sousa volta a disputar as meias-finais de um torneio do ATP World Tour. Nos quartos-de-final do ASB Classic, em Auckland, o tenista português voltou a vencer o holandês Robin Haase em dois sets, para assegurar a discussão por um lugar na final do seu primeiro torneio da época. Mas Sousa fez ainda melhor do que no anterior embate com Haase, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e não sofreu nenhum break, para concluir com os parciais de 6-3, 6-2, em 57 minutos.

“Fiz um excelente encontro. Sabia que ele era um jogador que gosta de dominar os encontros e sabia que tinha de ser muito agressivo para mudar esse aspecto. A verdade é que consegui fazê-lo na perfeição, ser agressivo, acutilante durante todo o encontro. Se calhar, ele estava um pouco cansado depois da batalha que teve ontem, a verdade é que estive muito activo”, explicou Sousa (44.º mundial), que anulou os dois break-points que enfrentou na vitória sobre Haase (58.º), que o levou à primeira meia-final desde Nice, em Maio do ano passado.

Na próxima madrugada, Sousa vai tentar voltar a uma final do ATP World Tour, o que não acontece desde o triunfo em Valência, em Novembro de 2015, mas precisa de ultrapassar Marcos Baghdatis (36.º), um adversário que nunca defrontou no circuito profissional, nem na Taça Davis – o cipriota defrontou Portugal em 2010, mas Sousa foi então suplente não utilizado. Nos "quartos" de Auckland, Baghdatis fez melhor que Sousa, pois não enfrentou qualquer break-point no duelo com o checo Jiri Vesely (54.º), a quem derrotou, por 6-2, 6-4.

Na final do torneio neozelandês estará um norte-americano, que sairá do confronto entre Steve Johnson (33.º) e Jack Sock (23.º). Noutro duelo “made in USA”, Johnson só conseguiu impor-se ao amigo John Isner (19.º) no tie-break do set decisivo. Johnson ganhou 85% dos pontos disputados com o seu primeiro serviço para vencer, por 6-3, 4-7 e 7-6 (7/3), em 2h15m. Sock somou 12 ases e dispôs de 25 break-points diante de Jérémy Chardy (71.º), mas só concretizou quatro para eliminar o francês, igualmente ao fim de mais de duas horas de jogo: 5-7, 6-4 e 6-3.