O desenho que serviu para pagar impostos afinal não é de Dalí

Museu Rainha Sofia está a corrigir formalmente a autoria de um esboço, atribuindo-o agora a José Caballero.

Foto
DR

Composición surrealista, desenho que até agora figurava no catálogo do Museu Rainha Sofia, em Madrid, como sendo uma obra de Salvador Dalí e que ali chegou por doação, será afinal da autoria de José Caballero, pintor de muito menor nome que o mestre surrealista. Esta é a primeira vez que a instituição corrige a autoria de uma obra. O esboço não integra, contudo, a colecção permanente do museu espanhol de arte moderna e contemporânea.

O caso foi contado esta semana numa reportagem do diário espanhol La Razón, que juntava inúmeros peritos e a viúva de Caballero na certeza de que o desenho, várias vezes exposto tanto no Rainha Sofia quanto em instituições como o Metropolitan de Nova Iorque ou a Hayward Gallery de Londres em mostras dedicadas a Dalí, não é da autoria do surrealista. Depois de terem surgido as primeiras suspeitas, há meses, realizaram-se estudos que desfizeram o que as várias fontes da história classificam como um "equívoco". 

Entre os ouvidos pelo La Razón está a própria conservadora principal do departamento de Pintura do período entre 1881 e 1940 do Rainha Sofia, Paloma Esteban, bem como a directora da Fundação Gala-Salvador Dalí, Montse Auger. Composición surrealista, desenho originalmente datado de 1927, será afinal uma obra de Caballero, amigo de Federico García Lorca, e terá sido executado na década seguinte. 

O desenho, de 22,8 centímetros por 16,1 centímetros, e que não está assinado nem datado, vê-se agora circunstancialmente ausente do catálogo online do museu espanhol, que está a ser actualizado para rectificar a autoria da obra. 

Composición surrealista chegou ao Rainha Sofia em 2003, quando foi entregue à instituição como parte de uma doação para efeito de pagamento de impostos da construtora ACS (presidida por Florentino Pérez, que também preside ao clube de futebol Real Madrid). Fazia parte de um conjunto de cinco obras de Dalí, incluindo vários óleos e um outro desenho, no valor de 4,5 milhões de euros; tinha sido adquirida à família de Lorca.

Agora, sem data fixa, o desenho será reatribuído formalmente ao seu verdadeiro autor, numa situação que o director do Rainha Sofia, Manuel Borja-Villel, admite ao La Razón "não ser muito habitual num museu de arte contemporânea porque [normalmente] as atribuções vêm directamente do artista". 

Sugerir correcção