Era preciso um MacGyver 2.0?

O que era bom nos anos 1980 era bom que ficasse nos anos 1980? O novo MacGyver chega esta terça-feira a Portugal para tirar as dúvidas.

Lucas Till é o jovem Angus MacGyver
Foto
Lucas Till é o jovem Angus MacGyver CBS/FIC

Os espectadores-críticos avaliaram uma série com o mesmo nome e a mesma ideia de forma bem díspar – MacGyver de 1985, apresentamos-te os espectadores que te adoram à distância de 20 anos; MacGyver de 2016, eis os teus fãs desiludidos em 2016. Eles pontuaram-te em sites como o IMDB ou o Metacritic e puseram-te no auge vintage e no vermelho da actualidade.

A série, mais um reboot de um título (re)conhecido, estreia-se esta terça-feira na Fox às 22h15 depois de se ter estatelado mais ou menos ao comprido junto dos críticos dos EUA. Os espectadores, mesmo aqueles que foram votar nos sites que agregam opiniões sobre filmes e séries, ainda assim deram-lhe boas audiências. MacGyver 2.0 está num canal generalista, a CBS, e tem audiências a roçar os 10 milhões entre o directo e as gravações e streaming, embora em queda ligeira desde a estreia em Setembro.

Voz off, bazófia e o penteado de Lucas Till a lembrar Richard Dean Anderson num ambiente Missão Impossível chegará para devolver a MacGyver o amor kitsch? O que acontece ao herói dos anos 1980 que salvava o dia com um clipe e uma chiclete fica nos anos 1980? Talvez não houvesse necessidade, MacGyver, apesar de ela aguçar o engenho. 

Sugerir correcção