Marcelo sobre João Lobo Antunes: "Era uma figura ímpar"

O Presidente da República elogiou a sua presença cimeira na saúde e nas ciências da vida. Marcelo perde "um amigo" e "um grande português".

Foto
Marcelo Rebelo de Sousa destacou o respeito conquistado por João Lobo Antunes Daniel Rocha/Arquivo

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu a notícia da morte do neurocirurgião João Lobo Antunes em Cuba, onde quis deixar uma “palavra de homenagem” e transmitir as suas condolências à família.

O Presidente da República recorda o neurocirurgião como “uma figura ímpar”. “Era ao mesmo tempo um grande académico, um grande intelectual no sentido de uma cultura vastíssima e riquíssima. Uma figura cimeira no domínio da saúde e não só – em geral, da ética das ciências da vida. Foi, aliás, presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida”, lembrou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações ao PÚBLICO e à Rádio Renascença, à saída da fábrica de charutos Cohiba, em Havana, Cuba.

“Em todas estas facetas mostrou uma excelência que o fazia ser respeitado por toda a sociedade portuguesa. Pelos seus pares em medicina, pelos seus inúmeros alunos, pelos seus doentes, pelos seus colegas, pelos seus admiradores do ponto de vista intelectual e pelos mais variados sectores da vida política nacional”, sublinhou o Presidente português.

“É uma perda de um amigo, mas é também a perda de um grande português.”