Airbnb com vida difícil em Nova Iorque

O Estado de Nova Iorque vai aplicar multas mais pesadas a quem colocar o seu imóvel a arrendar por menos de 30 dias.

Reuters/SHANNON STAPLETON
Foto
Reuters/SHANNON STAPLETON

O Estado de Nova Iorque colocou mais um entrave à plataforma de arrendamento de curta duração Airbnb, aprovando multas a aplicar a quem colocar a sua habitação para arrendamento por menos de 30 dias.

O Airbnb já informou, em comunicado, que vai recorrer da decisão em tribunal. No comunicado lê-se ainda que a decisão tem como objectivo “recompensar os interesses especiais da indústria hoteleira e ignorar as vozes de dezenas de milhares de nova-iorquinos”.

Uma lei do Estado de Nova Iorque, datada de 2010, restringiu a possibilidade de arrendar um apartamento por menos de 30 dias, caso o proprietário do imóvel não esteja presente.

A nova legislação proíbe assim a maior parte da publicidade relativa a este tipo de arrendamento e endurece as multas, podendo ascender aos 7500 dólares.

Nova Iorque é um dos mercados mais lucrativos do Airbnb, com cerca de 46 mil proprietários registados na plataforma.
O Airbnb argumenta ainda que os preços dos imóveis na Big Apple são de tal maneira altos que três quartos dos “anfitriões” utilizam o dinheiro dos arrendamentos apenas para continuarem a viver na mesma habitação.

Um pouco por todo o mundo, a plataforma digital está na mira de muitas cidades, pressionada pela indústria do turismo que argumenta que não existem as mesmas restrições legais e fiscais.