Alemanha quer banir carros a gasolina e gasóleo

O Bundesrat aprovou uma resolução pedindo a Bruxelas que suspenda vendas de carros com motores de combustão interna a partir de 2030.

Fabricantes automóveis europeus já pede à União Europeia que reveja as suas políticas fiscais
Foto
Fabricantes automóveis europeus já pede à União Europeia que reveja as suas políticas fiscais AFP/MAURICIO LIMA

São já vários os países na Europa, principalmente depois do acordo de Paris, que avançaram com medidas para reduzir as emissões de poluentes para o ar. Lisboa é exemplo disso, com várias obras pensadas de maneira a fazer diminuir a circulação de veículos em zonas específicas.

A Alemanha, por sua vez, quer ir mais longe: o Bundesrat (conselho federal, que se pronuncia sobre temas referentes aos estados regionais alemães e aos assuntos relativos à União Europeia) aprovou uma resolução para banir a venda de carros com motores de combustão interna a partir de 2030, avança a revista alemã Der Spiegel.

O objectivo é que a partir desse ano circulem apenas carros eléctricos ou veículos sem qualquer registo de emissões poluentes. Esta resolução do organismo que representa os 16 estados-federados da Alemanha não é vinculativa – é um pedido à Comissão Europeia para que proponha legislação sobre a questão. Mas é um sinal poderoso vindo de um país com uma importante indústria automóvel – é o maior produtor europeu (mais de 15 milhões de unidades fabricadas em 2015), responsável por 19% da produção mundial, empregando quase 800 mil pessoas.

Segundo a revista Forbes, o texto da resolução pede que a União Europeia reveja as suas “práticas de tributação actuais” (provavelmente acabando com o regime favorável do diesel) e a “estimular a mobilidade livre de emissões” (podendo querer dizer dar incentivos fiscais à compra de veículos eléctricos).