Rabelas começaram a circular no Douro

Táxis fluviais turísticos vão cruzar o rio em três minutos, pelo preço de 3 euros

As embarcações foram construídas de propósito para este fim
Foto
As embarcações foram construídas de propósito para este fim Hugo Santos

Não foi a 21 de Setembro mas foi no dia 30. Desde esta sexta-feira que há duas rabelas a cruzar o rio Douro, entre as margens do Porto e Vila Nova de Gaia. Depois de mais um atraso (pequeno, desta vez) os táxis fluviais turísticos do grupo The Fladgate Partnership começaram, finalmente, a operar.

A partir de agora, entre as 9h e as 20h deverá haver partidas dos dois cais de 15 em 15 minutos, para fazer a travessia que não dura mais que três minutos. Cada embarcação tem capacidade para 28 passageiros e o preço, por trajecto, é de 3 euros.

No início do mês, o director-geral do grupo, Adrian Bridge, afirmara que a expectativa era que as rabelas transportassem 230 mil pessoas por ano. O responsável pelo grupo que é dono de vários hotéis – incluindo The Yeatman, em Gaia, e o Infante Sagres, no Porto – é agora citado no comunicado que anuncia o início da operação, afirmando: “O trânsito fluvial é uma oferta muito importante que vai beneficiar a cidade, pois neste momento há apenas uma ligação entre as duas margens do Douro, que é a do tabuleiro inferior da Ponte Luís I, e entendemos que não é suficiente. As rabelas vão permitir que os turistas atravessem o Douro de uma maneira mais rápida, segura, cómoda e agradável”.

O início da actividade das rabelas no Douro era aguardado há vários meses. O grupo empresarial responsável pela sua criação chegou a anunciar que os barcos poderiam começar a cruzar o rio antes da Páscoa, adiando, posteriormente, essa possibilidade para o início do Verão. O atraso ter-se-á devido o todo o processo burocrático, que incluiu autorizações para a construção de cais nas duas margens. As duas embarcações também tiveram que ser construídas de raiz.

Os barcos vão atracar no Cais das Pedras, do lado do Porto, e em frente ao Clube Fluvial Portuense, em Gaia.