Chan Swan
Foto
Chan Swan

Megafone

Os dentes dos coelhos crescem sem parar. Que cuidados devemos ter?

A propósito do Dia Internacional do Coelho — que se celebra a 24 de Setembro —, deixamos algumas dicas sobre como cuidar da saúde da dentição dos coelhos. A prevenção é o melhor remédio e com uma boa dieta teremos um coelho saudável

Os coelhos são óptimos animais de companhia, animais curiosos, inteligentes, com um carácter muito marcado e bastante interactivos com todos em seu redor.

Mas para ter um coelho como animal de estimação é importante sabermos quais os melhores cuidados a ter com ele e conhecermos o seu comportamento.

Os coelhos são herbívoros e têm uma anatomia e fisiologia adaptadas àquilo que deve ser a sua dieta ideal. São lagomorfos e não roedores, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, pois possuem quatro incisivos superiores (e não dois, como os roedores). Eles têm 28 dentes (seis incisivos e 22 pré molares e molares), todos eles de crescimento contínuo ao longo de toda a vida. Os incisivos crescem cerca de 2 a 2,4 mm por semana, apesar de os incisivos inferiores crescerem mais rápido do que os superiores. Os dentes pré molares e molares crescem aproximadamente a mesma altura por mês, dependendo de factores como a idade, gestação e dieta.

Tal como em nós, os diferentes tipos de dentes têm funções diferentes. Os incisivos são usados para cortar a comida enquanto que os restantes dentes são utilizados para moer os alimentos. O desgaste de cada dente ocorre durante os diferentes tipos de mastigação e no contacto entre os dentes, o que implica que haja uma boa oclusão entre todos eles. Esta oclusão pode não ocorrer em alguns coelhos por motivos congénitos, hereditários ou simplesmente adquiridos, como trauma ou uma dieta inadequada com uma insuficiente componente abrasiva.

Além disso, algumas raças de coelhos são mais propensas a desenvolver problemas dentários devido a caraterísticas anatómicas como, por exemplo, terem uma cabeça muito pequena.

Como herbívoros, os coelhos devem ter uma dieta baseada, principalmente, em feno. Este deve estar sempre disponível, visto que lhes proporciona, além de fibra, sílica, que contém propriedades abrasivas.

Assim como o feno, há outros alimentos fibrosos que se podem oferecer como palha, dente de leão, trevos ou alfafa (luzerna). No entanto, é necessário ter em conta que a alfafa tem elevados níveis de cálcio e de proteína podendo predispor ao aparecimento de cálculos ou de sedimento na bexiga e, como tal, deve ser restringida nos animais adultos.

Além do feno também deve fazer parte da alimentação de cada coelho alguma variedade de verduras frescas e uma pequena quantidade de ração granulada (esta última, quando presente, deve ser de elevada qualidade).

A chave para um bom desgaste dentário é a dieta. Se esta não for a adequada, o desgaste não ocorre como deveria e os problemas dentários aparecerão.

Os sinais de patologia dentária em coelhos são muito variados e podem, muitas vezes, passar despercebidos até se tornarem graves. Alguns destes sinais, aos quais devemos estar sempre atentos, são o ranger dos dentes, a perda de apetite ou um apetite selectivo, a perda de peso, a hipersalivação (que se manifesta por terem os lábios, queixo, tórax e patas dianteiras molhadas) e, eventualmente, o aparecimento de abcessos.

A prevenção é o melhor remédio e com uma boa dieta teremos um coelho saudável.

Sugerir correcção